Vale a viagem

No Parque das Neblinas é possível fazer trilhas, andar de bicicleta, praticar canoagem ou apenas curtir a natureza

Para quem gosta de natureza, um passeio ecológico é perfeito para quem está estressado com a rotina paulistana

Por: Edson Veiga - Atualizado em

Caminhar pelas trilhas do Parque das Neblinas, no limite entre Bertioga e Mogi das Cruzes, a 115 quilômetros da capital, é refazer os trajetos dos trabalhadores que derrubaram a mata original dali. "Até os anos 50, essa região era intensamente explorada pela indústria do carvão", conta Guilherme Rocha Dias, coordenador do parque. "Quando a área, recuperada, foi aberta à visitação, mantivemos as mesmas trilhas." Adeptos de caminhada ecológica encontram seis opções de rota, todas ladeadas por muito verde e animais silvestres. A mais longa, recomendada apenas para aventureiros experientes, dura quatro horas e oferece uma bela visão da orla de Bertioga.

Na década de 60, a fábrica de papel Suzano comprou terras na área. Encontrou-as devastadas pelos carvoeiros. O objetivo da empresa era plantar eucaliptos para extrair a celulose, sua matéria-prima – o que continua fazendo em lotes próximos ao parque. Em 1988, reservou os arredores do Rio Itatinga para que a Mata Atlântica se recuperasse. Dezesseis anos depois, abriu o Parque das Neblinas, administrado pela ONG Instituto Ecofuturo. Em seus 28 quilômetros quadrados foram catalogadas 226 espécies de aves, 47 de anfíbios, 35 de mamíferos e oito de peixes. Esse trabalho de contagem é feito em parceria com instituições de ensino superior, como a Universidade Estadual Paulista (Unesp) e a Universidade de Mogi das Cruzes.

Todas as atividades destinadas aos visitantes têm foco ambiental. É preciso acordar cedo para apreciar a beleza do parque e ter espírito intrépido. Além das trilhas, dá para praticar canoagem, andar em uma pista de arvorismo e pilotar mountain bike. Entre as opções menos radicais, há oficina de fotografia e um curso que ensina a identificar orquídeas. A entrada é gratuita, mas as atividades são cobradas (os preços variam de 30 a 100 reais por pessoa, conforme o pacote contratado).

Vá preparado. Tudo é muito rústico. O celular, por exemplo, não pega. "Às vezes, recebemos grupos dispostos a acampar no meio da mata", conta a bióloga Michele Martins, que coordena o processo de visitação. "É um acampamento natural, não tem nem banheiro." Para atender os turistas, há uma simpática casa de fazenda, que funciona como sede. Nela, os interessados assistem a um videozinho que conta a história do parque e encontram a estrutura de apoio: guarda-volumes, banheiros e uma cozinha (com fogão a lenha) de onde saem receitas caipiras preparadas por moradoras de Taiaçupeba, distrito de Mogi das Cruzes.

Parque das Neblinas. Rodovia SP 102, quilômetro 85. Bertioga (SP). 4724-0555. As visitas devem ser agendadas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO