Circuito alternativo

Cinco mostras de cinema em cartaz na cidade

Retrospectiva do diretor americano John Carpenter e seleção de documentários exibidos no Festival do Rio são os destaques da programação

Por: Redação VEJINHA.COM - Atualizado em

A Nova York de Bill Cunningham
'A Nova York de Bill Cunningham', de Richard Press: do Festival do Rio para o CineSesc (Foto: Divulgação)

Entre o Festival Indie e a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, programada para começar em 19 de outubro, o circuito alternativo da cidade recebe uma seleção de boas mostras com opções de produções recentes e de títulos assinados por diretores já consagrados. Confira abaixo os cinco principais ciclos em cartaz:

  • A ideia é mais ou menos esta: se você não pode ir ao Festival do Rio, parte dele vem até você. Além da retrospectiva do diretor John Carpenter, dez documentários chegam da mostra carioca diretamente para o CineSesc. Até domingo (14), artistas, cantores e cineastas estão na mira do cinema-verdade. Título dos mais concorridos da programação, Michael Jackson — Bad 25 é a homenagem do diretor Spike Lee ao rei do pop — a fita será exibida no sábado (13), às19 horas. Além de registros dedicados ao fundador da Apple, Steve Jobs, e ao pintor alemão Gerhard Richter, as atenções se voltam ainda à vida íntima de dois realizadores-ícone. Roman Polanski rememora seu passado, enquanto Woody Allen, pela primeira vez, deixa uma câmera fazer imagens em seu set de filmagem. Até 14/10/2012.
    Saiba mais
  • Embora seja um diretor de altos e baixos, o americano John Carpenter, de 64 anos, tem uma filmografia cult voltada para o terror, a fantasia e a ficção científica. Até domingo (14), o CineSesc, em parceria com o Festival do Rio, traz à cidade catorze longas-metragens assinados pelo mestre. A Retrospectiva John Carpenter abrange desde seus dois primeiros filmes (Dark Star e Assalto à 13ª DP, de 1974 e 1976, respectivamente) até o mais recente, Aterrorizada, de 2010. Estrelada por Amber Heard, esta fita, lançada diretamente em DVD no Brasil, mostra uma jovem psicologicamente abalada que acaba num manicômio. Haverá duas exibições: neste sábado (6) e na quarta (10), às 14h. Outras atrações igualmente interessantes são o pioneiro Halloween — A Noite do Terror (1978), o futurista Fuga de Nova York (1981) e o horror de arrepiar Eles Vivem (1988). De 05/10 a 14/10/2012.
    Saiba mais
  • O cineasta Joaquim Pedro de Andrade completaria 80 anos em 2012. Para relembrar o importante cineasta, sempre sintonizado com o modernismo brasileiro, o Cine Olido organiza, a partir de sexta-feira (5), uma retrospectiva com todos seus trabalhos restaurados - curtas e longas-metragens.  As exibições de filmes como Macunaíma e Vereda Tropical (trecho de Contos Eróticos) acontece em película e DVD. As exibições vão até quinta-feira (11). R$ 1.
    Saiba mais
  • Mostra retrospectiva do cineasta alemão Rosa Von Praunheim, que em 40 anos de carreira, produziu mais de 70 filmes, quase todos engajados com a causa homossexual. As sessões custam R$ 4, com exceção das projeções em DVD, que são gratuitas. De 26/09 a 7/10.
    Saiba mais
  • Resenha por Miguel Barbieri Jr.: Com 80 anos completados em março, o diretor e produtor Roberto Farias ganha uma retrospectiva à altura de sua importante carreira, iniciada na década de 50 com a comédia "Rico Ri à Toa". A mostra, com 25 longas-metragens, vai de quarta (5) ao dia 16 no Centro Cultural Banco do Brasil. Em seguida, passa para a Cinemateca e continua até o fim do mês. Irmão do ator Reginaldo Faria e pai dos também cineastas Mauro ("O Diário de Tati"), Lui ("Com Licença, Eu Vou à Luta") e Maurício ("A Grande Família"), o realizador possui uma rica filmografia, que inclui clássicos como "Assalto ao Trem Pagador", comandado por ele em 1962. Além deste, mais quinze filmes serão projetados em cópia nova, a exemplo da trilogia de aventuras musicais estrelada pelo rei da jovem guarda: "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura" (1967), "Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-Rosa" (1969) e "A 300 km por Hora" (1971). Embora exibida em DVD, a tragicomédia "Mar de Rosas", produzida por Farias em 1977, sobressai na programação.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO