Consumo

Pesquisa Menor Preço: material escolar

VEJA SÃO PAULO comparou o valor de dezoito itens nos dias 12 e 13 em sete papelarias da cidade. Lepok venceu a disputa do custo mais baixo em um maior número de produtos

Por: Sophia Braun - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Borracha, compasso, lápis de cor... Em alguns colégios da capital, a lista de materiais escolares chega a ter mais de vinte itens. Se a notícia é boa para a garotada, que se diverte com a escolha dos personagens que estamparão seus cadernos e mochilas, para os pais o efeito se mostra diferente. O investimento para comprar todos os produtos pode ultrapassar facilmente 100 reais para cada filho.

+ Pesquisa Menor Preço: supermercados

Para economizar, não existe segredo: é preciso gastar a sola do sapato (ou a ponta dos dedos, para quem prefere navegar na internet) e fazer orçamento em diferentes lojas antes de passar o cartão. Entre os últimos dias 12 e 13, a reportagem de VEJA SÃO PAULO fez a cotação de dezoito produtos, sem se identificar, entre os mais solicitados pelas escolas, em sete estabelecimentos da cidade. O resultado foi o esperado: a variação de preços segue significativa.

Para escolher as unidades visitadas, perguntamos a cada companhia qual endereço é o principal daquela bandeira. Nos casos em que a assessoria de imprensa não foi localizada ou não cedeu a informação, a escolha foi aleatória.

+ Pesquisa Menor Preço: material de construção

Confira as tabelas com as comparações de preço:

Pesquisa de preços: material escolar - itens gerais
(Foto: Simone Yamamoto)
Pesquisa de preços: material escolar - ensino infantil
(Foto: Simone Yamamoto)
Pesquisa de preços: material escolar - para os mais velhor
(Foto: Simone Yamamoto)

O pen-drive Cruzer Blade da Sandisk, com 8GB de capacidade, apresentou a maior variação de valor, chegando a 143%. Para se ter uma ideia, o dispositivo é vendido a 16,40 reais na Papelaria Real, no Campo Belo, e 39,90 reais nas vinte unidades da Papel Magia. Também participaram da cotação Kalunga, Misaspel, Papel Fantasia e Papelaria Universitária.   

O valor da menor oscilação também impressiona. Atingiu 39% na comparação do giz de cera Acrilex. A caixinha com doze cores de ponta grossa sai mais barata — 2,80 reais — na Lepok, com sete endereços na capital e arredores. Por manter o preço deste e de outros sete artigos abaixo da concorrência, ela levou a melhor e ficou em primeiro lugar na pesquisa que consagrou campeão o estabelecimento com o maior número de itens de menor preço.

+ Pesquisa Menor Preço: farmácias

De uma loja pequenina, fundada mais de trinta anos atrás na Água Rasa, o auxiliar de gráfica Sinvaldo Pessoa Silva fez da Lepok uma das principais redes de materiais para escritório, papelaria e informática do estado. “Meu faturamento anual no varejo gira em torno de 50 milhões de reais”, estima Silva, à frente de uma equipe de 230 funcionários. Pelas suas contas, a matriz da Vila Formosa, na Zona Leste (unidade que visitamos), se mostra a mais rentável e corresponde a uma fatia de 21% desse bolo. “Em janeiro e fevereiro, período de volta às aulas, a receita da casa-mãe dobra”, afirma.

Lepok - Vila Formosa
Silva na matriz da Vila Formosa: "Com a volta às aulas a receita dobra" (Foto: Fernando Moraes)

Não importa a região da cidade, os cerca de 12 000 itens que compõem o portfólio da empresa apresentam preços tabelados (regra válida incluive para as filiais do Itaim Bibi e de Alphaville, áreas nobres). Silva justifica as cifras atraentes pelo grande volume de mercadorias movimentado pelo grupo, com braços ainda nos setores corporativo, e-commerce e televendas. “Temos variedade de itens e bons preços como uma grande rede, mas comodidades de uma papelaria de bairro”, diz o empresário, que se orgulha de oferecer cafezinho Nespresso como cortesia aos clientes.

+ Sites para comprar móveis e objetos descolados

O atendimento atencioso é também um diferencial da Papel Magia, marca que apresentou o maior número de produtos mais caros da pesquisa e ficou em último lugar. De acordo com o sócio Francis Ferreira de Melo Pádua, a localização privilegiada das lojas reflete diretamente nos preços. "Tenho custos muito altos para estar nos melhores shoppings da cidade", defende-se. "Nossa intenção não é concorrer com as grandes papelarias, mas oferecer itens que não se encontram em todo lugar."

Confira os endereços visitados:

KalungaRua Voluntários da Pátria, 1483, Santana

Lepok. Rua Aracê, 313, Vila Formosa

MisaspelRua Fernão Dias, 477, Pinheiros

Papel FantasiaRua Marconi, 54, centro

Papel Magia. MorumbiShopping

Papelaria Real. Rua Jesuíno Maciel, 951, Campo Belo

Papelaria UniversitáriaRua Humberto I, 1012, Vila Mariana

Fonte: VEJA SÃO PAULO