publicidade

Teatro

Melhores peças em cartaz

Veja algumas montagens que valem o ingresso

5.out.2012 | Atualizada em 15.ago.2014 por Redação VEJINHA.COM

A seleção a seguir traz as peças que receberam as melhores cotações pelo crítico Dirceu Alves Jr..

 

 

Cultuado no meio teatral, o dramaturgo e roteirista americano Tracy Letts tem a obra divulgada no Brasil muito mais pelo cinema. Os dramas Álbum de Família, protagonizado por Meryl Streep e Julia Roberts, e Killer Joe – Matador de Aluguel, com Matthew McConaughey, são adaptações de densas peças de sua autoria. Saiba mais.

Júlio Adrião e Alessandra Vannucci transformaram em um belo monólogo a obra do italiano Dario Fo. A chegada dos espanhóis à América é narrada por Johan Padan, um zé-ninguém que foge da fogueira da Inquisição e embarca numa das caravelas de Cristóvão Colombo. Saiba mais.

Personagem cobiçada por muitas intérpretes, Blanche Dubois é a protagonista de Um Bonde Chamado Desejo (1947) — e já foi representada no Brasil por Eva Wilma, Tereza Rachel e Leona Cavalli, entre outras. Saiba mais.

Peças Monólogo cômico

Myrna Sou Eu

3
Veja SP
4 avaliações

Ninguém jamais viu a cara de Myrna. Só havia uma certeza: tratava-se de uma mulher que distribuía conselhos sentimentais nas páginas de um jornal no fim dos anos 40. O ator Nilton Bicudo criou uma imagem para representar no monólogo cômico esse pseudônimo feminino do dramaturgo Nelson Rodrigues. Saiba mais.

Quando o tema da homossexualidade representava um tabu na sociedade muito maior que nos tempos atuais, o cineasta e roteirista alemão Rainer Werner Fassbinder (1945-1982) ousava discussões pouco óbvias em obras como As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant. Saiba mais.

Peças Musical

Vingança

3
Veja SP
5 avaliações

O jeito tímido do compositor gaúcho Lupicínio Rodrigues (1914-1974) destoava um pouco do caráter melodramático de suas canções. Esse estilo exaltado era a marca dos principais cantores do rádio e temas como Nervos de Aço, Esses Moços e Cadeira Vazia se popularizaram nas décadas de 40 e 50, transformando-o no mestre da dor de cotovelo. Saiba mais.

Mais um texto do promissor dramaturgo carioca Jô Bilac, autor de Cachorro!, Rebu e Savana Glacial. A tragicomédia enfoca a disputa entre Wilson (interpretado por Ed Moraes) e Pierre (papel de Daniel Tavares). Saiba mais.

Uma das atrizes mais prestigiadas da cena paulistana, Ester Laccava empresta densidade aos espetáculos de que participa. A Árvore Seca, Pessoas Absurdas e até o fraco Mães Iradas são exemplos de montagens valorizadas por sua presença. Saiba mais.

A diretora Neyde Veneziano e os integrantes da Cia. La Mínima assinam a adaptação da comédia de Dario Fo. Domingos Montagner divide a cena com Fernando Sampaio. Ambos desdobram-se em vinte personagens nas quatro histórias inspiradas em passagens da Bíblia que satirizam a espetacularização da fé. Saiba mais.

Peças Monólogo

Rei Lear

3
Veja SP
2 avaliações

O protagonista desta adaptação de Geraldo Carneiro para a tragédia de William Shakespeare demonstra apenas vestígios da majestade. Refinado com as palavras, o Rei Lear interpretado por Juca de Oliveira no monólogo não tem coroa, trono nem a postura da realeza. Saiba mais.

publicidade

Avaliação de VEJA SP

Não foi avaliado

Avaliação de VEJA SP

Péssimo

Avaliação de VEJA SP

Fraco

Avaliação de VEJA SP

Regular

Avaliação de VEJA SP

Bom

Avaliação de VEJA SP

Muito bom

Avaliação de VEJA SP

Excelente

Avaliação dos usuários

Ainda não foi avaliado

Avaliação dos usuários

Péssimo

Avaliação dos usuários

Fraco

Avaliação dos usuários

Regular

Avaliação dos usuários

Bom

Avaliação dos usuários

Muito bom

Avaliação dos usuários

Excelente

Avaliação do usuário

Péssimo

Avaliação do usuário

Fraco

Avaliação do usuário

Regular

Avaliação do usuário

Bom

Avaliação do usuário

Muito bom

Avaliação do usuário

Excelente

Péssimo

Fraco

Regular

Bom

Muito bom

Excelente

Comente

Envie por e-mail