Shows

Mariana Aydar lança novo CD no Auditório Ibirapuera

Mais distante do samba, cantora busca outras sonoridades de origem africana no álbum "Cavaleiro Selvagem Aqui Te Sigo"

Por: Carol Pascoal - Atualizado em

Mariana Aydar
Mariana: 'Tenho de ouvir muito Beth Carvalho antes de me rotularem como sambista' (Foto: Divulgação)

A cantora paulistana Mariana Aydar, de 31 anos, teve um bom desempenho em seus dois primeiros discos, “Kavita 1” (2006) e “Peixes Pássaros Pessoas” (2009). Mas era no palco que esses trabalhos cresciam e ela se mostrava uma intérprete muito mais interessante. “Cavaleiro Selvagem Aqui Te Sigo”, que ela lança na sexta (23), foi gravado ao vivo, e isso se mostrou determinante para uma evolução em relação aos CDs anteriores. “No estúdio eu me sinto sufocada ao colocar aquele fone na orelha”, diz. “Preciso da magia do palco, com todos os instrumentistas reunidos ali.”

+ Conheça seis novas cantoras da cidade

+ Confira um trecho do show de Chico Buarque

Produzido pelo percussionista e saxofonista Letieres Leite, líder da ótima Orkestra Rumpilezz, e pelo músico Duani Martins, o novo trabalho se afasta do samba, gênero com o qual Mariana flertou desde a estreia. “Vai Vadiar”, clássico conhecido na voz de Zeca Pagodinho, até integra o repertório, porém com uma levada mais lenta. “Tenho de comer muito arroz e feijão e ouvir muito Beth Carvalho antes de me rotularem como sambista”, afirma.

+ Shows nacionais de peso para curtir até maio

“Por isso preferi partir para um lado mais afro-brasileiro.” Na noite de lançamento, a moça canta “Porto” (Romulo Fróes e Nuno Ramos), “Não Foi em Vão” (Thalma de Freitas), “Nine Out of Tem” (Caetano Veloso) e “Galope Rasante” (Zé Ramalho). Ao seu lado estão Guilherme Held (guitarra), Robinho (baixo), Ricardo Prado (teclados), Bruninho Marques (bateria) e Dalua (percussão). O rapper Emicida faz uma participação especial.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO