Cidades

Marcha Mundial das Mulheres reúne 800 pessoas na Praça da República

Manifestação pelos direitos das mulheres termina com série de shows na região central da cidade 

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

Marcha Mundial das Mulheres
Marcha Mundial das Mulheres: feministas de 50 países na Avenida Paulista (Foto: Reprodução Facebook/MarchaMundialdasMulheres)

O 9º Encontro Internacional da Marcha Mundial das Mulheres encerra-se neste sábado (31) com uma manifestação em prol dos direitos das mulheres após uma semana de debates no Memorial da América Latina. Entre as bandeiras levantadas estão o direito à autonomia sobre a sexualidade e a legalização do aborto. 

A marcha, que teve início às 14h no Vão Livre do Masp, reúne no fim do dia cerca de 800 pessoas na Praça da República, com shows da cantora baiana Karina Buhr, das rappers cubanas Krudas Cubensi e do grupo de forró brasiliense Chinelo de Couro. As ativistas fecharam a rua Rego Freitas por voltas das 18h30, segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). Mais cedo, às 17h40, ocuparam totalmente a Rua Augusta, depois de bloquear parcialmente a Avenida Paulista, às 16h, sentido Consolação. De acordo com a Polícia Militar, que acompanhou a marcha, a manifestação foi pacífica. 

Com o tema “Feminismo em Marcha para Mudar o Mundo”, o protesto “faz parte de um movimento mundial de resistência ao sistema capitalista, colonialista e patriarcal, e de construção de propostas alternativas fundamentadas na autonomia e na autodeterminação das mulheres e dos povos.”

Entre as questões discutidas na série de debates e palestras realizados ao longo da semana estão “o combate ao machismo, ao racismo e à lesbofobia, autonomia sobre o corpo e auto-organização das mulheres”.

Marcha Mundial das Mulheres
Karina Buhr: flyer divulga show da cantora Karina Buhr na Marcha das Mulheres (Foto: Reprodução Facebook/KarinaBuhr)

Fonte: VEJA SÃO PAULO