Memória

Livro narra quatro décadas de planejamento urbano da macrometrópole

Ligada ao governo do estado, a Emplasa comandou projetos para interligação de uma região que engloba capital, litoral, Vale do Paraíba e Campinas

Por: Mauricio Xavier [com reportagem de Silas Colombo]

Avenida Nove de Julho anos 20
A Avenida Nove de Julho, na época de sua abertura, nos anos 20 (Foto: Reprodução)

De uma pequena província com menos de 70 000 habitantes em 1870, São Paulo tornou-se a cidade mais populosa do país na metade do século seguinte. Desde então, o crescimento acelerado extrapolou os limites da capital e serviu de referência para o desenvolvimentodos municípios vizinhos.

Ao longo das últimas quatro décadas, os projetos de infraestrutura para a interligação desse conglomerado urbano estiveram a cargo da Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa).

O órgão ligado ao governo do estado foi o responsável por cunhar o termo “macrometrópole” para definir a área que compreende São Paulo, ABC, Santos, Campinas, São José dos Campos, Sorocaba e Piracicaba, um território com mais de 30 milhões de habitantes.

Via Anchieta 1955
A Via Anchieta, em 1955: estrada facilitou o acesso ao litoral e aproximou a região da capital (Foto: Reprodução)

A história do progresso dessa região e do trabalho da companhia está no livro Emplasa: 40 Anos de Planejamento Metropolitano, lançado neste mês. Entre outros registros interessantes, a obratraz imagens da construção da Avenida 9 de Julho e dos primórdiosda operação da Via Anchieta.

Fonte: VEJA SÃO PAULO