Especial

José Auriemo Neto: empreendedor

Com o Parque Cidade Jardim e outros projetos arrojados, o presidente da JHSF torna-se o rei do luxo no mercado imobiliário e ajuda a mudar a face da metrópole

Por: Thales Guaracy - Atualizado em

Aos 31 anos e presidindo a metade da antiga JHS que ficou com seu pai, Fábio, atualmente no conselho de administração, José Auriemo Neto é um exemplo de como os investimentos do setor privado podem influir no desenvolvimento urbano. Ele é o idealizador e executor do Parque Cidade Jardim, o maior complexo privado em obras na América Latina, com um shopping center de 180 lojas, nove torres residenciais, quatro de escritórios e um hotel Fasano. Localizado na marginal do Rio Pinheiros do lado do Morumbi, num terreno de 80 000 metros quadrados, o empreendimento atenderá um público até hoje cativo do Shopping Iguatemi e dos Jardins, devendo mudar a cara e o comportamento da região. Tem mais. Auriemo lançou um loteamento de alto luxo em Porto Feliz, investirá no ano que vem em outro projeto semelhante em Punta del Este, no Uruguai, e associou-se à Daslu para lançá-la em outras cidades. Ele, que já era o maior sócio dos hotéis da grife Fasano, vem se tornando o novo rei do luxo no mercado imobiliário.

Auriemo é ousado não apenas no tamanho de seus lançamentos mas também na fórmula. Para investir mais, abriu seu capital: hoje, 18% das ações da companhia são negociadas em bolsa. O Parque Cidade Jardim terá uma área aberta, como o Bal Harbour em Miami. Dos Estados Unidos também vem a idéia de criar imóveis de uso misto, como o edifício do Fasano, que terá apartamentos particulares. "Acreditamos que o hotel e o shopping valorizam os apartamentos e escritórios, e vice-versa", diz Auriemo, chamado pelos amigos de Zeco. Ele não vê obstáculos. Pagou 50 milhões de reais de pedágio por construir acima do limite permitido para a região, dinheiro utilizado pela prefeitura na construção da ponte estaiada sobre o Rio Pinheiros. A obra, que virou um novo cartão-postal da cidade, é também de seu interesse, por facilitar o acesso ao empreendimento.

Ambicioso demais? A seu favor, Auriemo apresenta resultados. Cerca de 80% dos apartamentos das quatro primeiras torres (de um total de nove) do Parque Cidade Jardim já foram vendidos, a preços que começam em cerca de 2 milhões de reais. A JHSF, que faturou 250 milhões de reais até o terceiro trimestre de 2007, deve arrecadar outros 2 bilhões nos próximos cinco anos apenas com o projeto do Cidade Jardim. Nem só de luxo, porém, vive Auriemo. Entre as propriedades da empresa estão o Shopping Metrô Santa Cruz, por onde passam 75 000 pessoas diariamente, e edifícios comerciais como o Nações, na Rua Hungria, pelo qual o escritório de advocacia Pinheiro Neto paga 800 000 reais por mês de aluguel. No ano que vem, ele inaugura o Shopping Metrô Tucuruvi e venderá o Dona Catarina, condomínio residencial com casas entre 400 000 e 1,5 milhão de reais na Rodovia Castelo Branco, a 50 quilômetros de São Paulo. Planeja fazer novos shoppings e hotéis em outras capitais e até no exterior. Auriemo procura oportunidades sobrevoando a cidade de helicóptero. Esse jovem gavião de terno e gravata está só no começo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO