CRIMINALIDADE

Jornalistas sofrem assalto em São Paulo

Funcionários de O Estado de S. Paulo faziam reportagem na Zona Leste quando foram abordados por seis homens. Criminosos levaram equipamento fotográfico e celulares

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

crime
Câmera fotográfica levada por criminosos foi encontrada em terreno baldio (Foto: Divulgação)

O repórter Luiz Fernando Toledo e o repórter-fotográfico Tiago Queiroz, do jornal O Estado de S. Paulo, foram vítimas de um assalto na tarde de quarta-feira, 9, na Vila Itaim, zona leste de São Paulo.

Os jornalistas estavam no bairro apurando uma reportagem quando foram abordados por seis homens, que os ameaçaram e fugiram a pé levando o equipamento fotográfico, além de celulares, cerca de R$ 40 e documentos pessoais.Dois suspeitos foram presos pela polícia e reconhecidos pelos repórteres.

+ Promotoria denuncia Lula no caso do triplex

À noite, a câmera foi localizada sem avarias em um terreno baldio onde havia sido deixada pelos criminosos.Toledo e Queiroz relataram que, por volta das 15 horas, ouviam moradores na Vila Itaim quando notaram a aproximação dos criminosos, cinco dos seis aparentando ter menos de 30 anos e outro um pouco mais velho.

Sem mostrar armas, cercaram a equipe e mandaram entregar os pertences.O grupo demonstrou impaciência diante da dificuldade em conseguir os objetos rapidamente e fez ameaças de morte às vítimas. Os homens escaparam por ruas da região e apenas um deles não estava a pé: andava em uma bicicleta infantil.

Os repórteres registraram boletim de ocorrência no 59º DP (Jardim Noêmia) e investigadores fizeram diligências na área do crime. Dois suspeitos foram localizados pelos policiais civis e terminaram reconhecidos pelas vítimas como integrantes do grupo que cometeu o assalto. Um revólver calibre 38 foi encontrado com um dos criminosos.

+ Confira as últimas notícias da cidade

A polícia também encontrou o cartão do bilhete único de Tiago Queiroz na casa de um dos envolvidos na ocorrência.Interrogados pelos agentes, eles não forneceram informações sobre os comparsas nem o que foi feito com os celulares.

Dados

O 59º DP registrou 111 casos de roubo no mês de janeiro, 15 a mais do que no mesmo período do ano passado, segundo a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo.

Em 2015, foram cometidas 1.243 ocorrências dessa natureza.O distrito é vizinho do 50º DP (Itaim Paulista), recordista em quantidade de roubos no mês retrasado na cidade.

Ao todo, foram registrados 414 boletins de ocorrência deste crime na delegacia da região. Ao longo do ano passado, o número de roubos foi de 3.413.

Fonte: VEJA SÃO PAULO