Internacional

Multa da Receita Federal impede iraniano de continuar volta ao mundo

Ebrahim Hemmatnia fazia expedição em um veículo anfíbio, que foi taxado e está em São Paulo. Seu advogado alega falta de informações por parte do órgão

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Iraniano Barco-Bicicleta
Ebrahim Hemmatnia saiu de Dacar, no Senegal, em novembro (Foto: Reprodução Facebook)

A falta de informação prestada pela Receita Federal é o principal argumento que o advogado Matheus Piazzon Tagliari deve utilizar para tentar anular a multa aplicada pelo órgão ao iraniano Ebrahim Hemmatnia. Ele precisou interromper sua viagem de volta ao mundo após descobrir que deveria pagar 18 000 dólares em taxas sobre o veículo que utiliza para fazer a jornada.   

+ Acusados de fraudar provas, PMs são presos por morte de travesti

“Não houve uma notificação prévia por parte da Receita sobre o pagamento deste valor. A única informação que o Ebrahim recebeu foi que ele teria um visto de noventa dias para permaneceu no Brasil”, afirmou Tagliari.

Hemmatnia, de 38 anos, chegou a Recife no final de janeiro após sair de Dacar, no Senegal, em novembro do ano passado, a bordo de um bote movido a pedaladas. Ainda segundo o advogado, que diz ter se prontificado a ajudá-lo sem custos, o estrangeiro estava ciente de que precisaria pagar uma multa diária de 8,28 reais após o período de três meses.

+ Justiça determina o sequestro de 79 imóveis de fiscal da prefeitura

Ebrahim no Ibirapuera
Ele esteve no Parque do Ibirapuera, em São Paulo (Foto: Reprodução Facebook)

“Ele não sabia que teria que arcar com taxas sobre o barco. É um estrangeiro, que não fala português. Em nenhum momento a Receita esclareceu a situação. Por isso, vamos tentar anular a multa”, argumentou Tagliari.

+ Acompanhe as últimas notícias da cidade

Ebrahim na Rebouças
O iraniano na região central de São Paulo (Foto: Reprodução Facebook)

Sem recursos para quitar as despesas, Hemmatnia retornou a Apeldoorn, na Holanda, onde mora, no último dia 16. O barco-bicicleta ficou em São Paulo. Ele quer retornar para cá e pedalar pela Argentina, Chile e Peru, de onde pretende seguir viagem pelo Pacífico até a Austrália.

Fonte: VEJA SÃO PAULO