Mundo

Getúlio Vargas aparece em "Super Trunfo" de ditadores

Jogo alemão com 96 cartas faz disputa entre déspotas. Mortos durante governo somam pontos ao personagem

Por: Veja São Paulo

Super Trunfo
Getúlio Vargas entre Adolf Hitler (esq.) e Saddam Hussein (dir.) (Foto: Divulgação)

Adolf Hitler, Saddam Hussein, Bashar al-Assad e, de quebra, Gétulio Vargas: todos brigando para ver quem é o pior. Essa é a ideia do "Tiranos", um jogo de cartas semelhante ao clássico Super Trunfo, mas que, em vez de comparar carros, motos e aviões uns aos outros, coloca lado a lado grandes ditadores da história da humanidade.

Filho de ditador da Guiné Equatorial tem triplex nos Jardins interditado

Na disputa, as "habilidades" dos mandatários são medidas pela idade em que eles chegaram ao poder, a duração do governo e quantas vítimas foram mortas no período. 

Inventado pelos alemães Jürgen Kittel e Jörg Wagner, o jogo tem três edições que reúnem, no total, 96 nomes de ditadores. A brincadeira foi lançada em 2008, após dez anos de pesquisas minuciosas para selecionar os piores nomes. 

Fazem parte do rol de mandatários monarcas, fascistas, generais e fanáticos religiosos. Getúlio aparece na terceira edição, como um dos ditadores ligados à Igreja. Ainda figuram entre eles líderes como o norte-coreano Kim Jong-il, o egípcio Hosni Mubarak e o ugandense Idi Amin.

+ Escolas ensinam crianças e adolescentes a criar jogos e aplicativos

O jogo faz parte de uma série intitulada "Misérias do Mundo", ao lado de títulos como "Epidemias", "Drogas", "Vermes e Pestes", "Centrais Nucleares", e "Desastres petroleiros". Os cards não são vendidos em lojas no Brasil, mas podem ser encontrar em sites como o eBay. O preço está na casa de 40 reais.

Fonte: VEJA SÃO PAULO