mobilidade

Gestão Haddad prioriza ciclovias no centro

Das 32 subprefeituras da cidade, seis, as mais periféricas da cidade, ainda não têm faixa para ciclistas

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

segundo dia de ciclovia
Ciclovia na Avenida Paulista: inaugurada no fim de junho (Foto: Ana Luiza Cardoso)

As ciclovias, bandeira da gestão Fernando Haddad, não têm recebido tratamento igual na cidade. Enquanto as faixas para bicicletas nos bairros centrais são, em geral, bem sinalizadas e contam com boas condições de tráfego. Já aquelas instaladas na periferia sofrem com sujeira, buracos, falta de sinalização, de iluminação. Algumas ainda têm lama pelo caminho, como mostrou reportagem publicada pelo jornal Folha de S.Paulo nesta quarta-feira (8).

+ Moradores apelidam pista para bicicleta de 'ciclomorte'

A reportagem mostra os problemas enfrentados por ciclistas que trafegam na Avenida Bento Guelfi, na Zona Leste da cidade. Ali, além de apagada, a via é tomada por barro.

Ciclovia Iguatemi
Pista da ciclovia no Jardim Iguatemi, na Zona Leste da cidade (Foto: Ana Luiz Cardoso)

Em maio deste ano, VEJA SÃO PAULO visitou o local e constatou vários problemas. Os usuários a apelidaram de “ciclomorte” por ter sido instalada no meio da avenida, dividindo o fluxo de carros.

+ Projeto de expansão das ciclovias custa mais que o triplo do previsto

Além dos problemas nas pistas, a reportagem destacou que nas áreas mais afastadas a ciclovias são mais escassas. Das 32 subprefeituras da capital, seis ainda não têm faixas exclusivas para ciclistas. Entre elas estão Sapopemba, Itaim Paulista e Guainases, na Zona Leste, e M’Boi Mirim, Cidade Ademar e Parelheiros, na Zona Sul.

Ao jornal, o diretor de planejamento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Tadeu Leite, disse que as ciclovias chegam a alguns pontos extremos da cidade antes de outras melhorias de infraestrutura na região. Leite afirma que os bairros periféricos demandam outras reformas, mais complexas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO