ABERTURA

Rede de churrascarias Fogo de Chão inaugura bar

Primeira unidade do Bar Fogo abre as portas nesta quinta (30) na unidade dos Jardins

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

fogo de chao - bar fogo
Pães de queijo recheados de picanha do Bar Fogo, na Fogo de Chão dos Jardins (Foto: Divulgação)

Esqueça aquele espaço sem graça de churrascaria destinado ao belisco de pães de queijo enquanto se espera por uma mesa. Pelo menos essa é a intenção da rede Fogo de Chão com a inauguração do Bar Fogo em duas de suas cinco unidades paulistanas.

+ Prove comida do Brasil todo sem sair de São Paulo

Trata-se, na verdade, do espaço de espera com um “upgrade": um cardápio próprio de dez petiscos. A intenção da churrascaria é que os frequentadores que não estiverem a fim de desembolsar R$ 116,00 por cabeça para devorar cortes como paleta de cordeiro e o shoulder steak apareçam apenas para um drinque e um tira-gosto.

fogodechao - bar fogo - fogo de chão
Coquetel de camarão do Bar Fogo, na Fogo de Chão (Foto: Divulgação)

O bar abre para o público nesta quinta (30) na unidade dos Jardins e no próximo dia 12 de maio no restaurante do Shopping Center Norte. Já existe um Bar Fogo na casa da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

fogodechao - bar fogo - fogo de chão
Caipirinha: um clássico servido na casa (Foto: Divulgação)

Para beber, a carta sugere caipirinhas, vinhos e cervejas especiais escolhidas por Cassio Piccolo, proprietário do bar Frangó, caso da belga Delirium Tremens (R$ 38,00; 330 mililitros). A linha mastigável inclui opções quentes e frias, caso do clássico coquetel de camarão (R$ 75,00) e das triviais torradas com patê de espinafre e palmito (R$ 20,00).

O pão de queijo, é claro, não vai faltar e poderá ser recheado de minihambúrguer ou fatias de picanha (28,00, quatro unidades). Falando no disco de carne moída, a casa também vai se dedicar a um hambúrguer com 200 gramas de carne (picanha ou costela com shoulder) no pão, por R$ 35,00.

Fogo de Chão - Jardins
Unidade dos Jardins: salão quase clean e cortes caprichados no rodízio (Foto: Fernando Moraes)

Fonte: VEJA SÃO PAULO