Crime

"Era o melhor filho do mundo", diz mãe de agressor de Ana Hickmann

Enterro de Rodrigo Augusto de Pádua ocorreu na manhã desta segunda (23)

Por: Veja São Paulo

anahickamann2
Ana Kickmann: momentos de terror vividos no último sábado (21) (Foto: )

A mãe de Rodrigo Augusto de Pádua, morto após invadir armado o quarto do hotel em que Ana Hickmann estava hospedada, conversou com a imprensa após o enterro do filho nesta segunda (23) em Juiz de Fora, Minas Gerais. 

+ Ana Hickmann se emociona ao relembrar atentado

"Meu filho era o melhor filho do mundo. Só eu conhecia meu filho. Não era ele quem fez isso. Era outra pessoa, entendeu? Porque o inimigo é terrível, ele ataca mesmo as pessoas 24 horas por dia", disse a mãe do rapaz, Wanda Silva de Pádua.

Ela afirmou que o filho não usava drogas e que tinha uma relação muito boa com o filho. "Ele nunca mexeu com drogas, não bebia, não fumava, ficava mais em casa. Era um filho sereno, um menino muito educado. Pode perguntar aos vizinhos lá. Era de casa para a academia, da academia para casa. Ele só saia comigo. E dizia 'Mãe, a senhora é a coisa mais importante deste mundo para mim, se a senhora morrer eu vou junto'. Não tinha vício de nada, era muito carinhoso comigo, com os irmãos", contou.

+ Marido de Ana Hickmann publica homenagem para o irmão na internet

Ana Hickmann - Rodrigo Augusto de Padua - Facebook
Rodrigo Augusto de Pádua: Antiga foto do perfil já foi compartilhada mais de 25 vezes (Foto: Reprodução/Facebook)

Wanda também explicou o por que de Rodrigo estar em Belo Horizonte. "Ele foi para Belo Horizonte para conhecer a cidade, porque meu outro filho mora lá. Ele ia para outro lugar. Foi uma fatalidade o que aconteceu. Tenho certeza de ele não foi lá para fazer mal para ninguém. Ele só queria conversar. Mas como o destino foi cruel, tirou o meu filho de mim. Meu caçula, que eu amava tanto. Agora vai ficar só meu coração", lamentou. 

+ Cunhado de Ana Hickmann revela detalhes sobre o atentado

Em sua primeira entrevista à TV após o ocorrido, Ana Hickmann relembrou os momentos de terror no quarto do hotel. "É difícil de acreditar que aquela imagem, a cena, as palavras, os tiros, que tudo aquilo aconteceu. Parece cena de filme. Na hora em que ele entrou, a primeira coisa que passou na minha cabeça foi, 'é um assalto, um arrastão'. Só que ele veio para cima de mim e começou a me ofender e a me humilhar. Por uma graça de Deus, meu marido e meu filho não estavam presentes", declarou ao programa Domingo Espetacular, da Record.

Fonte: VEJA SÃO PAULO