CINEMA

Comédia com Kéfera e animação para adultos chegam às telas

Além de É Fada! e Festa da Salsicha, dois bons argentinos entram em cartaz: O Último Tango e No Fim do Túnel

Por: Tiago Faria - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Depois do fiasco Contrato Vitalício, do grupo Porta dos Fundos, é a vez da youtuber Kéfera Buchmann fazer a delicada transição para o cinema. Produzida por Daniel Filho, a comédia É Fada! é uma das maiores estreias da semana nas salas da cidade, mas não a melhor. Para quem procura risadas (incorretas e proibidas para menores, no caso), a dica é correr para as sessões da animação para adultos Festa da Salsicha.

+ Os 27 melhores filmes disponíveis na Netflix

O desenho americano, que tem até uma cena de orgia entre enlatados e vegetais (!), foi coescrita por Seth Rogen e Evan Goldberg, a dupla por trás de fitas arruaceiras como Superbad. A ideia da trama é criativa e as piadas funcionam. Mas vá preparado: o humor sem limites da fita deve chocar os mais pudicos.

No circuito alternativo, duas produções argentinas comprovam o padrão de qualidade da cinematografia dos nossos vizinhos. Produzido pelo diretor alemão Wim Wenders, o documentário O Último Tango faz um retrato de dois dos tangueiros mais importantes do país, Juan Carlos Copes e María Nieves. Já No Fim do Túnel é um thriller com pegada hitchcockiana sobre um humem (Leonardo Sbaraglia) que descobre o plano de ladrões que cavam um caminho subterrâneo sob a casa onde ele mora.

Confira as resenhas e informações sobre as doze estreias da semana:

  • Aos 49 anos, o inglês Jason Statham tornou-se uma grife no cinema de ação: a zona de conforto do astro são, sim, passatempos marrentos e tolos, mas feitos com despretensão e algum humor. Em Assassino a Preço Fixo 2 — A Ressurreição, essa fórmula velha de guerra rende alguns momentos divertidos de tão absurdos, como uma cena tresloucada de perseguição nos bondinhos do Pão de Açúcar. No entanto, raramente tira o fôlego ou provoca risadas. Statham é Arthur Bishop, um anti-herói à prova de balas obrigado a assassinar três bandidos poderosos e fazer com que os crimes pareçam acidentais. Só assim poderá resgatar sua nova namorada, interpretada por Jessica Alba, das mãos dos criminosos. Estreou em 6/10/2016.
    Saiba mais
  • Entediado com o mais do mesmo, o designer cinquentão Michel (Bruno Podalydès, que também escreve e dirige o longa) toma a decisão de respirar outros ares: em casa, monta um caiaque e cria um plano para remar numa região bucólica da França, deixando-se levar por um filete de água. A viagem solitária sofre um baque quando ele depara com um pequeno restaurante. Com um protagonista apático e tipos secundários graciosos, porém esquecíveis, a comédia francesa Um Doce Refúgio patina na intenção de criar uma crônica suave sobre o desejo de liberdade de um tipo comum. Estreou em 6/10/2016.
    Saiba mais
  • A premissa continua idêntica: no futuro, um feriado permite que crimes sejam cometidos sem punição. A novidade é que, para reavivar a cinessérie iniciada em Uma Noite de Crime (2013), 12 Horas para Sobreviver — O Ano da Eleição ganha ares de charge política. Neste terceiro episódio, uma senadora democrata (Elizabeth Mitchell) vira alvo de políticos conservadores. Apesar de atual, o jogo de tensão cai na rotina do gênero. Estreou em 6/10/2016.
    Saiba mais
  • Depois do tropeço do grupo Porta dos Fundos com o irregular Contrato Vitalício, a webcelebridade Kéfera Buchmann arrisca a delicada transição para o cinema. Na comédia É Fada!, a curitibana de 23 anos, com mais de 9 milhões de inscritos em seu canal do You-Tube, foi mais precavida e aparece cercada de profissionais experientes, como o produtor Daniel Filho e a diretora Cris D’Amato (de Linda de Morrer). Menos mau. Ela interpreta com desenvoltura uma fadinha desastrada com a missão de ajudar uma adolescente (Klara Castanho) a escapar de roubadas. Apesar de sem encanto e ingênuo demais para a plateia teen, o longa captura o estilão desbocado e hiperativo da youtuber. Estreou em 6/10/2016.
    Saiba mais
  • Com uma saraivada de palavrões, piadas de duplo sentido e até uma cena de orgia envolvendo legumes e enlatados (!), a animação Festa da Salsicha não é (nem pretende ser) um programa família. A graça da fita encontra-se justamente na maneira despudorada como contrasta a fofurice visual com um roteiro provocativo, proibido para menores. Coescrito por Seth Rogen e Evan Goldberg, a dupla por trás de comédias arruaceiras como Superbad, o script acompanha Frank, uma salsicha que se apaixona pela charmosa baguete Brenda. Habitantes de um hipermercado, eles têm fé nos humanos... até descobrir que serão devorados assim que saírem de lá. No humor sem limites do longa, cabem tiradas incorretas e hilariantes até sobre conflitos no Oriente Médio. Estreou em 6/10/2016.
    Saiba mais
  • Os personagens do thriller No Fim do Túnel estão confinados em espaços pequenos: os quartos de uma antiga casa em Buenos Aires, o esconderijo de um grupo de ladrões e, por fim, um caminho subterrâneo para um banco. Parece pouco para justificar um longa, mas, nesse sufoco, o diretor e roteirista Rodrigo Grande cria um labirinto narrativo capaz de, cena a cena, revelar atalhos surpreendentes. Preso a uma cadeira de rodas, Joaquín (Leonardo Sbaraglia) vê sua vida solitária mudar quando, numa noite de trabalho, escuta um ruído na parede e decide apurar o caso. Estreou em 6/10/2016.
    Saiba mais
  • Ambicioso, mas superficial e excessivamente longo, o documentário Humano — Uma Viagem pela Vida alterna depoimentos e cenas da natureza para tratar de temas amplos como guerra, desigualdade social, morte e amor. Estreou em 6/10/2016.
    Saiba mais
  • Com melancolia, humor ácido e boas atuações, o drama americano Irmã narra o reencontro de uma noviça (Addison Timlin) com o irmão, ferido na Guerra do Iraque. Estreou em 6/10/2016.
    Saiba mais
  • Instigados por seu professor de roteiro, seis jovens escritores se reúnem em um armazém abandonado para decidir quem leva a melhor em uma macabra competição: escrever o melhor e mais assustador filme de terror da história do cinema. Ruth (Kelby Keenan) decide levar consigo as facas que um dia pertenceram à Jack, o Estripador para inspirar sua escrita. No entanto, quando o conjunto de facas desaparece, o terror deixa de ser mera ficção para os seis jovens. Estreou em 6/10/2016.
    Saiba mais
  • Terror / Suspense

    A Maldição da Floresta
    VejaSP
    Sem avaliação
    Fã de filmes de monstros, o inglês Corin Hardy tornou-se especialista em efeitos especiais sinistros. Não à toa, A Maldição da Floresta, sua estreia em direção de longas, traz uma legião de criaturas bizarras. Elas atormentam um casal recém-hospedado na zona rural irlandesa (os carismáticos Joseph Mawle e Bojana Novakovic). A fita acerta no suspense, mas, curiosamente, perde o impacto quando os seres malignos entram em cena. Estreou em 6/10/2016.
    Saiba mais
  • Apesar do aval do escritor britânico John le Carré, um dos produtores do thriller, Nosso Fiel Traidor adapta de maneira fria e impessoal seu livro homônimo de 2010. Os quesitos técnicos não desapontam: a fotografia de Anthony Dod Mantle flagra os ângulos mais atraentes de personagens suspeitos, em trânsito por países como Marrocos, Rússia e Suíça. O que sobra em requinte visual, porém, falta em força dramática. Numa viagem de férias, um casal inglês (Ewan McGregor e Naomie Harris, na foto) envolve-se com um mafioso russo (Stellan Skarsgard). O encontro traz descobertas inesperadas, embora sonolentas. Estreou em 6/10/2016.
    Saiba mais
  • Documentário

    O Último Tango
    VejaSP
    Sem avaliação
    Repleta de paixão e fúria, a trajetória dos bailarinos e coreógrafos María Nieves, 81 anos, e Juan Carlos Copes, 84, contém muitos dos sentimentos que podem ser encontrados em um ótimo espetáculo de tango. Por mais de quarenta anos, o casal reinou nos salões da Argentina e do mundo. Mesmo depois do fim do casamento, eles seguiram juntos em cena, sem pudor de expor nos palcos as tensões de uma relação atribulada. O documentário O Último Tango, produzido pelo alemão Wim Wenders, entrelaça as lembranças da dupla a números musicais encenados por jovens dançarinos como Ayelén Álvarez Miño e Juan Malizia. Os momentos mais tocantes, contudo, são aqueles em que María e Copes encaram o tempo presente e expõem, com a franqueza de tangueiros veteranos, as dores da solidão e da velhice. Estreou em 6/10/2016.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO