Exposição

Elifas Andreato: capista nota 10

Mostra reúne capas de discos, livros e revistas

Por: Orlando Margarido - Atualizado em

Os mais nostálgicos vão se lembrar da estátua dourada de Pixinguinha, com flores nas mãos, que recepcionava a clientela do bar Vou Vivendo, referência da boemia paulistana nos anos 80 e 90. A obra, um tanto melancólica, como bem cabe aos chorinhos do compositor, foi apenas uma das muitas criações marcantes do paranaense Elifas Andreato em quatro décadas de trajetória. Nesse período, o artista gráfico de 60 anos desenhou capas de discos e livros, cartazes de peças teatrais e projetos para a imprensa. Reunida numa mostra de 300 trabalhos em exibição até 12 de janeiro no Design & Graphic Center, no Cambuci, sua produção mais parece uma enciclopédia visual da música popular brasileira. Estão lá, estampados em LPs, por exemplo, de Adoniran Barbosa a Zeca Pagodinho. É famosa a representação de Adoniran com pinta de palhaço, em homenagem aos seus 70 anos. Imagens tristes como essa marcariam boa parte do trabalho do capista. No disco Nervos de Aço (1973), a figura do tímido músico Paulinho da Viola, recém-separado da mulher, aparece chorando e segurando flores. "Sempre achei que um artista tem aquela alegria de palhaço que no fundo é tristeza", justifica Elifas.

Filho de lavradores, ex-torneiro mecânico e militante político, o desenhista autodidata entrou para o universo das artes gráficas pelas mãos de Attilio Baschera, então diretor de arte na Editora Abril, que publica VEJA – revista em que também trabalhou. Em 1970, numa encomenda da casa, Elifas foi responsável pelo projeto gráfico da coleção História da Música Popular Brasileira. O sucesso deslanchou sua carreira e aproximou-o de vários compositores, entre eles o próprio Pixinguinha. Vem dessa ocasião o hábito de conviver algum tempo com seus retratados antes de desenhá-los, muitas vezes em rodas de música e em bares. "Considero que minha função serve como um convite, pelo olhar, a conhecer e ouvir a magnífica obra desses mestres."

ELIFAS ANDREATO. Design & Graphic Center. Rua Dona Ana Néri, 797, Cambuci, Tel. 3385-7300. Segunda a sexta, 9h às 22h; sábado, 10h às 14h. Até 12 de janeiro de 2007.

Fonte: VEJA SÃO PAULO