Música

Disco raro de Arnaldo Baptista é relançado

O álbum Singin' Alone volta ao mercado pela internet

Por: Carlos Messias

Arnaldo-Baptista_1978_Foto-Grace-Lagoa
Arnaldo, um dos criadores dos Mutantes, em foto dos anos 70: depressão e tentativa de suicídio (Foto: Grace Lagoa)

O músico paulistano Arnaldo Baptista criou Os Mutantes, ao lado da cantora Rita Lee e de seu irmão caçula, o guitarrista Sérgio. Depois do sucesso nos anos 60, porém, ele foi perdendo a lucidez devido ao consumo frequente de ácido lisérgico e outras drogas. Entrou em parafuso de vez após sofrer dois grandes baques na vida pessoal. Perdeu a mulher, a própria Rita, que deixou a banda e o casamento em1972. Um ano depois, Arnaldo resolveu também abandonar o  grupo e tentou seguir sozinho, até que uma tragédia interrompeu sua carreira.

No dia 31 de dezembro de 1981, internado na ala psiquiátrica do Hospital do Servidor Público, em meio a uma crise depressiva, atirou-se da janela do 4º andar do prédio. Nos meses anteriores, ele havia concluído as gravações de Singin’ Alone, seu segundo álbum-solo, que só chegaria ao mercado em 1982, em um lançamento do selo independente Baratos Afins, do tradicional sebo de mesmo nome da Galeria do Rock, no centro. 

nova-capa-Singin`Alone_Arnaldo-Baptista
O álbum: a versão original chegou ao mercado em 1982 (Foto: Reprodução)

O disco, que estava fora de catálogo desde 1995, acaba de ser relançado para download por 22,80 reais na distribuidora digital CD Baby (www.cdbaby.com). É o trabalho mais autoral e sombrio do gênio tropicalista, que toca todos os instrumentos e canta em inglês faixas como I Feel in Love One Day (Eu me apaixonei um dia). “OSingin’ é um exemplo de ousadia e experimentação que consegue fundir a crueza do rock a uma erudição de muita delicadeza”, elogia o músico Lobão, que no fim dos anos 70 montou o embrião de uma banda com Arnaldo Baptista que não foi para a frente.

“Naquela época, eu estava experimentando a mim mesmo”, diz o ex-mutante, que tem hoje 65 anos. Ele passou a viver em um sítio em Juiz de Fora (MG) com a terceira mulher, Lucinha Barbosa. O isolamento e a terapia com artes plásticas o ajudarama voltar à vida artística. Lançou em 2004 Let it Bed, o primeirode inéditas depois de um hiato de mais de duas décadas. 

arnaldo batista loki
Em Juiz de Fora, onde vive desde 1985: planos de uma nova obra com canções inéditas (Foto: Divulgação)

Dois anos depois, participou dos shows de reencontrodos Mutantes, com Zélia Duncan ocupando o lugar de Rita Lee. Agora, prepara-se para apresentar, no dia 29, no Sesc Vila Mariana, o concerto Sarau o Benedito?, no qual canta e toca piano de cauda, em meio a projeções de suas pinturas. Na apresentação, Arnaldo deve mostrar algumas faixas de Esphera, seu próximo álbum, que está sendo preparado lentamente em Juiz de Fora. “Vou fazendo as músicas por etapas”,explica. “Encontro felicidade conforme vou produzindo diariamente. É isso que me leva adiante.”

Vida Loki

›1948 Nasce no dia 6 de julho, em São Paulo.

›1966 Com Rita Lee e o irmão Sérgio, forma Os Mutantes.

›1967 Em outubro, o grupo participa do III Festival de Música Popular Brasileira, da TV Record, junto com Gilberto Gil.

›1968 Chega ao mercado o disco de estreia da banda.

›1971 Arnaldo e Rita Lee se casam.

›1972 O grupo produz o último trabalho com a participação de Rita Lee, que se separa de Arnaldo logo depois.

›1974 Um ano depois de ter deixado Os Mutantes, grava Loki?, o seu primeiro álbum-solo.

›1981 No dia 31 dedezembro, tenta o suicídio, atirando-se do 4º andar da ala psiquiátrica do Hospital do Servidor Público. Durante arecuperação, conheceu a fã Lucinha Barbosa, com quem é casado até hoje.

›1982 Lança Singin’ Alone.

›1985 Vai viver no sítio de Lucinha em Juiz de Fora (MG).

›2004 Produz Let it Bed, depois de um hiato de mais de vinte anos de músicas inéditas.

›2006 Participa do reencontro dos Mutantes,com Zélia Duncan nos vocais.

Fonte: VEJA SÃO PAULO