Violência

Dez pessoas morrem baleadas e outras cinco ficam feridas na Zona Sul

Crimes ocorreram em quatro locais diferentes na região do Parque Santo Antônio; Polícia Civil divulga retrato falado de um dos suspeitos

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Suspeito-retrato-falado-zona-sul-crime
Retrato falado de suspeito dos assassinatos na Zona Sul (Foto: Polícia Civil)

Dez pessoas foram mortas a tiros e outras cinco ficaram feridas em quatro regiões diferentes no Parque Santo Antônio, na Zona Sul de São Paulo, entre a noite de sexta (6) e a madrugada de sábado (7). Ninguém foi preso.

+ Piloto morre após ser atingido por hélice de avião em Mogi Guaçu

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), ainda não é possível estabelecer relação entre os crimes. As vítimas fatais foram Bruno Rafael Clemente Silva, 23, James de Souza, 35, Ewerton Silva, 16, João Marcos Lino Garcia, 21, Givonaldo Leite Fernandes, 37, Ewerton Nunes Rodrigues, 24, Vanderlei Sacramento de Souza, 33, Vanderley Sousa Lima, 25, Sidney Vieira Nascimento, 32, Sidnei dos Santos, 25.

Sete delas tinham passagem por tráfico, roubo, furto, homicídio e porte ilegal de arma de fogo. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) divulgou no início desta tarde o retrato falado de um dos suspeitos de ter participado dos crimes. Ele aparenta ter 30 anos de idade, aproximadamente 1,65 e cabelo castanho escuro.

Ao atender o primeiro chamado, os policiais encontraram Bruno Rafael Clemente Silva por volta das 22h na rua Manoel de Siqueira, em Piraporinha. O jovem estava caído, morto, com cinco ferimentos de tiros na cabeça, quatro no pescoço, um no tórax, um na perna esquerda e um nas costas. Os policais apreenderam cinco fragmentos de projeteis e dez cartuchos de 9mm deflagrados.

Mortes Jardim São Luís Zona Sul
Em um dos casos, cinco pessoas morreram a tiros dentro de um bar na Rua José Francisco de Oliveira, na Zona Sul (Foto: Marco Ambrosio/Folhapress)

Às 22h27, os PMs se dirigiram a Rua Pedro da Costa Faleiros para outro ocorrência em que quatro pessoas foram baleadas. O pintor James de Souza foi atingido com dois disparos no abdômen, um no braço esquerdo, dois na testa e dois na parte de trás da cabeça e morreu no local, assim como o menor Ewerton Silva que apresentava quatro ferimentos na cabeça, um na mão, um no braço direito, dois nas costas e três no tórax. Próximos aos corpos foram encontrados 11 cartuchos de 9mm deflagrados e dois fragmentos de projeteis.

Outros dois jovens, ambos de 18 anos, foram socorridos ao Hospital M’Boi Mirim. Um deles, atingido no abdômen, estava em cirurgia e o outro, ferido no braço esquerdo, relatou aos policiais que caminhava pela rua quando viu quatro homens chegarem em duas motos e atirarem.

+ Cão farejador ajuda a prender traficante em Suzano

A PM foi novamente acionada por volta de 3h10 de sábado para atender outro caso na Avenida Fim de Semana. Ao chegarem ao local, os policiais souberam que três pessoas que estavam em um bar foram baleadas por um homem que entrou atirando.

O motoboy Sidney Vieira Nascimento foi encontrado morto dentro do estabelecimento com dois tiros. O desempregado Sidnei dos Santos foi localizado na viela ao lado do bar, atingido por cinco disparos. Um pizzaiolo, de 21 anos, foi atingido no abdômen e antebraço esquerdo e foi socorrido ao Pronto Socorro do Hospital Campo Limpo. Segundo uma testemunha, o suspeito só não atingiu outras pessoas porque a arma falhou.

Outras sete vítimas, que estavam em um bar na Rua José Sedenho, foram atingidas por tiros, por volta das 3h38 de sábado. Testemunhas relataram à polícia que um homem atirou aleatoriamente contra diversas pessoas. Um vendedor, de 38 anos, foi socorrido ao Hospital M’ Boi Mirim com ferimento no antebraço direito e outro homem, de 33 anos, para o Hospital Campo Limpo, onde passava por cirurgia. Cinco homens morreram no local, sendo que três estavam em frente ao estabelecimento quando foram atingidos. A Polícia Civil apreendeu cartuchos de calibre 380, 9 mm, .40, projeteis, camisas de projétil e três micro-tubos com pó branco.

Todos os casos foram registrados no 47° Distrito Policial.

Fonte: VEJA SÃO PAULO