Tênis

Rafael Nadal enfrenta um brasileiro na estreia do Brasil Open

Ainda restam ingressos para ver o astro espanhol que entra em quadra na quinta (14) contra o brasileiro João Souza, o Feijão

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

nadal-feijao2
Rafael Nadal enfrenta o brasileiro João Souza, o Feijão, na estreia do Brasil Open 2013 (Foto: Divulgação / Brasil Open)

A estreia individual de Rafael Nadal no Brasil Open 2013 está marcada para quinta (14), às 20h, contra o brasileiro João Souza, conhecido como Feijão. O confronto é inédito e vale vaga nas quartas de final. Número 140 do ranking da ATP, o paulista se classificou para enfrentar o espanhol, na quarta (13), ao superar o também hispânico Ruben Ramirez Hidalgo, que abandonou o duelo no início do segundo set, após torcer o tornozelo.

+ Saiba onde comprar ingressos para o Brasil Open 2013

O placar apontava vitoria de Feijão, quando o rival desistiu. Ele agora pretende se entregar ainda mais na partida contra Nadal. "Venho em um ritmo bom, tenho condições de vencer. Sei que o ginásio vai estar lotado e vou entrar para bater de frente", afirma ele sobre o rival. Além da disputa individual, o espanhol, atual número 5 do mundo, entra também na chave de duplas ao lado do argentino David Nalbandián. Nadal já foi campeão do torneio em 2005, quando o evento era realizada na Costa do Sauipe, no litoral da Bahia.

Além dos aguardados jogos do astro espanhol, Thomaz Bellucci (melhor tenista brasileiro da atualidade e número 35 do mundo) e o compatriota Guilherme Clezar também lutam pelo título.

Ainda restam ingressos para a maioria dos setores do Ginásio do Ibirapuera. Divididos em dois aneis (superior e inferior) as entradas para a semi-final, no sábado, estão esgotadas. Veja abaixo o mapa:

mapa_open brasil
(Foto: Reprodução)

Confira abaixo dez motivos para ir ao Brasil Open 2013 em São Paulo:

1. Após onze edições na Costa do Sauípe, na Bahia, o Brasil Open será disputado pela segunda vez em São Paulo, até o dia 17 de fevereiro. Esse é o mais importante torneio de tênis realizado no Brasil e é um resultado positivo para a cidade, que não recebia há dezenove anos, desde o ano passado, uma competição de primeira linha desse esporte.

2. As semifinais e a final serão disputadas, respectivamente, no sábado (16) e no domingo (17). Um programa imperdível para quem estiver na cidade.

3. Essa é a segunda competição oficial que o astro espanhol Rafael Nadal (atual número 5 do mundo) disputa após realizar uma cirurgia no joelho e ficar afastado das quadras desde junho de 2012. Após conquistar a segunda colocação na última semana no ATP de Viña del Mar, no Chile, Nadal disputa o torneio individual e também participa dos jogos em dupla. Ou sej,a há grandes chances do astro repetir a boa atuação do Chile por aqui. Ele não dava as caras por aqui desde 2005, quando sagrou-se campeão do torneio com apenas 19 anos.

4. O vencedor do ATP BRasil do ano passado, o espanhol Nicolás Almagro, está de volta para a competição e promete outro show nas quadras.

5. Como a disputa distribui quase 500 mil dólares em prêmios ao vencedor, outros jogadores de alto nível confirmaram presença. Além de Almagro, 11º no ranking, outros dois nomes da lista do top 20 são o argentino Juan Mônaco e o suíço Stanislas Wawrinka

6. Para a alegria dos torcedores, pelo menos três brasileiros estão garantidos na chave principal de 26 jogadores: Thomaz Bellucci (35º no ranking), Ricardo Mello (85º) e João Souza (139º).

7. A chuva, tão comum nesta época, não vai atrapalhar a programação. Todos os jogos serão disputados em quadras de saibro cobertas, montadas especialmente para a competição, no Ginásio do Ibirapuera.

8. Os ingressos custam de R$ 15,00 a R$ 300,00 reais e valem para todos os jogos do dia. Ou seja, quem chegar cedo poderá assistir a até quatro partidas na sequência.

9. Os horários dos jogos são bem flexíveis: nos dias de semana, as quatro partidas ocorrem ao longo do dia. O primeiro confronto começa às 12h, seguido dos demais às 14h30, às 17h e por último, às 20h.

10. É em São Paulo, ora. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO