Cidade

Últimos corintianos presos na Bolívia chegam a São Paulo

Os torcedores acusados de envolvimento na morte do adolescente Kevin Espada foram soltos e desembarcaram neste sábado (3) na cidade

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

corintianos libertados bolivia
Momento da libertação dos setes corintianos em Oruro, na Bolívia (Foto: Divulgação / Veja)

Os últimos cinco corintianos que permaneciam detidos na Bolívia, acusados pela morte do adolescente Kevin Spada, 14 anos, voltaram hoje a São Paulo.

José Carlos da Silva Júnior, Leandro Silva de Oliveira, Reginaldo Coelho, Marco Aurélio Nefeire e Cleuter Barreto Barros foram presos na cidade de Oruro, na Bolívia, no dia 20 de fevereiro, após o disparo de um sinalizador durante a partida entre Corinthians e San José pela Copa Libertadores, que matou o jovem boliviano na hora.

Após investigações, o Ministério Público da Bolívia concluiu que não haviam provas contra os brasileiros detidos e tomou a decisão de libertar os corintianos, diante de uma não rejeição da família de Spada e da equipe do San José.

No dia 9 de junho, os outros sete torcedores Tadeu Macedo Andrade, Rafael Machado Castilho Araújo, Tiago Aurélio dos Santos Ferreira, Cléber de Souza, Danilo Silva de Oliveira, Hugo Nonato e Fábio Neves Domingos envolvidos no caso desembarcaram em São Paulo após liminar que os absolvia.

Os doze torcedores negam envolvimento na morte do boliviano. A pouco menos de uma semana após o incidente, um adolescente, sócio da torcida organizada Gaviões da Fiel, se apresentou à Justiça brasileira como autor do disparo do sinalizador.

Fonte: VEJA SÃO PAULO