Fast-food

Lanches do McDonald's para a Copa do Mundo decepcionam

Repórter de VEJA SÃO PAULO experimentou os sete sanduíches criados pela rede para celebrar o Mundial. Confira o ranking com as melhores e as piores versões

Por: Sophia Braun - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Lanche número 1 do McDonald’s, o Big Mac ganhou sete novos concorrentes no início deste mês. Em clima de Copa do Mundo, a rede americana oferece até 25 de junho sanduíches inspirados na culinária de alguns países que participam do campeonato.

 

Assim como nos três últimos mundiais, cada um deles entra em cartaz em um dia da semana. As segundas, por exemplo, ficam reservadas para a Espanha. Outras bandeiras representadas no cardápio são Alemanha, França, Itália, Argentina, Estados Unidos e Brasil. O sanduba custa 18,00 reais e o combo com batata frita e bebida sai por 23,50 reais (o médio) e 25,50 reais (o grande).

Mas será que vale a pena trocar o lanche do coração, no meu caso, o McFish (sim, existem pessoas que pedem o sanduba de peixe), por uma dessas criações? A fim de poupar o leitor de decepções, aceitei o desafio de provar todas as versões durante uma semana.  

O meu Super Size Me começou na quarta (7), dia de McFrança, e terminou na terça seguinte (13), quando experimentei o McAlemanha. Se o tema dessa reportagem fosse “viagens”, o roteiro proposto pela Arcos Dourados (acredite: esse é o nome da franquia do McDonald’s no Brasil) teria sido impecável. Mas como sanduíches as sugestões não funcionaram bem.

 

É claro que não se pode exigir a mesma qualidade de uma hamburgueria, como os mais de quarenta endereços do gênero testados e avaliados por VEJA SÃO PAULO. Afinal, o McDonald’s é uma rede de fast-food (termo que pode ser traduzido literalmente como “comida rápida”) presente nos quatro cantos do mundo e por isso precisa aliar padrão, preço moderado e agilidade no serviço. 

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Mas estipulei alguns critérios para eleger os melhores lanches, bem como aqueles que não descem nem com muita fome. Os pontos avaliados foram montagem, adequação à culinária típica do país e combinação de ingredientes. Em geral, os sanduíches com frango empanado estavam mais bem apresentados. São eles o McEspanha e o McFrança, contemplados com a terceira e a quinta colocação, respectivamente. Apesar disso, a medalha de ouro ficou para o McEstados Unidos, composto de hambúrguer, molho barbecue, cebola crispy, picles, mix de folhas, bacon e queijo cheddar. O lanche tem tudo a ver com a culinária dos EUA e reconforta o estômago na medida em que é exatamente aquilo que se espera: junk food. O McItália, por sua vez, ficou em último lugar.  

Depois dessa volta ao mundo pelos sandubas do Mc, posso dizer com segurança: na dúvida, fique com o Big Mac.

 

Confira abaixo o ranking:

1º)  McEUA (sábado)

  • O que leva: dois hambúrgueres “Angus”, queijo tipo cheddar, molho barbecue, bacon, mix de folhas, picles de pepino e cebola crispy
  • Avaliação: poderia estar no cardápio fixo da rede norte-americana. Seus ingredientes têm raízes na culinária rápida do país e combina com a proposta da marca. Só não agrada o bacon, molenga e gorduroso

2º)  McArgentina (sexta)

  • O que leva: dois hambúrgueres “Angus”, queijo tipo cheddar, molho chimichurri, bacon, alface e tomate
  • Avaliação: o chimichurri, um mix de ervas muito usado para temperar carnes, é uma boa referência da terra de Diego Maradona. Ponto negativo para o bacon, que apresenta os mesmos defeitos do McEUA

3º)  McEspanha (segunda)

  • O que leva: frango empanado, copa (tipo de embutido suíno), maionese de azeitona, mix de folhas, tomate e queijo com pimenta
  • Avaliação: embora nenhum dos ingredientes seja tipicamente espanhol, estava bem montado. A copa, que fez as vezes do conhecido jamón (presunto cru), estava surpreendentemente gostosa
  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

4º)  McBrasil (domingo)

  • O que leva: dois hambúrgueres “Angus”, queijo tipo emmental, alface, vinagrete e maionese
  • Avaliação: se a carne realmente é da raça bovina Angus, eu não poderia afirmar. Mas isso explicaria o bife mais gostosinho que o tradicional da marca. O vinagrete, único elemento genuinamente verde-amarelo — queijo emmental é original da suíça —, é colocado em escanteio pelo excesso de maionese  

5º) McFrança (quarta)

  • O que leva: frango empanado, queijo tipo emmental, tomate, mix de folhas, queijo ralado e cream cheese com ervas
  • Avaliação: em nada representa o país da Torre Eiffel. Não digo que o pão molenga com gergelim precisava ser uma baguete com sabor de carregada-embaixo-do-braço, mas os ingredientes (nugget gigante, cream cheese, queijo ralado?) lembram mais um lanche americano de pegada “light”. Apesar de gostoso e equilibrado, ficou com a quinta posição   

6º)  McAlemanha (terça)

  • O que leva: carne suína em formato de costelinha, alface, queijo com pimenta, picles, cebola-roxa e molho de mostarda alemã
  • Avaliação: a ideia é boa, mas o resultado nem tanto. O insosso hambúrguer lembra um nugget (sabe aquela carne triturada e amassada?), só que de origem suína. O formato de costelinha (?) é tão abstrato quanto uma obra de Salvador Dalí  

7º)  McItália (quinta)

  • O que leva: polpettone, peperoni, queijo ralado e molho de tomate com manjericão
  • Avaliação: a descrição do lanche parece deliciosa, certo? Pois foi o que menos agradou. A começar pelo hambúrguer fininho e sem graça, que mais parece um quibe, recheado de queijo. Pior que a quantidade mínima de peperoni (duas rodelas finíssimas) e molho de tomate de caixinha (apenas uma pincelada), foi o manjericão, um mito

Fonte: VEJA SÃO PAULO