Comidinhas

Barista ensina a fazer um ótimo café coado em casa

Gelma Franco, barista e proprietária do Il Barista Cafés Especiais, dá dicas (e também faz alguns alertas) para quem costuma passar um cafezinho em casa

Por: Nicole Dib - Atualizado em

Gelma Franco, dona da cafeteria Il Barista Cafés Especiais e diretora da Associação Brasileira de Café e Baristas
Gelma Franco: dona da cafeteria Il Barista Cafés Especiais (Foto: Mario Rodrigues)

Poucas coisas são mais reconfortantes do que uma xícara de café coado na hora. Quem não abre mão desse ritual em casa deve saber que o preparo da bebida requer cuidados. Gelma Franco, barista e proprietária da cafeteria Il Barista Cafés Especiais, explica que, antes de mais nada, é preciso escolher bem os grãos e evitar comprá-los em grande quatidade.

Ela ainda esclarece alguns mitos: “Há quem diga que a bebida agride o estômago, mas isso geralmente tem a ver com a péssima qualidade do produto”. Segundo Gelma, para esconder defeitos dos grãos, algumas marcas acabam torrando eles em excesso, deixando-os "quase carbonizados”. A barista também lista algumas dicas importantes na hora de passar um cafezinho.

+ Os melhores endereços para tomar café

1. A escolha do grão

Grãos de café da cafeteria Suplicy Cafés Especiais
Grãos: os do tipo arábica têm menor teor de cafeína (Foto: Fernando Moraes)

Na hora de escolher o produto no mercado, deve-se procurar por grãos do tipo arábica, de sabor mais doce e menor teor de cafeína. Costumeiramente mais em conta, o café robusta possui amargor mais acentuado.

2. A quantidade certa do pó

Gelma explica que a quantidade correta é de dez gramas para cada 100 mililitros de água.

3. A temperatura adequada da água

A água precisa ser filtrada e a chama do fogão deve ser desligada assim que as bolhas começarem a se formar. “A água fervente pode queimar o café.” A garrafa térmica, o bule, a xícara e, principalmente, o coador devem ser escaldados antes - este último para tirar qualquer gosto presente.

4. Tipo de filtro

“Eu sou fã do filtro de pano, pois ele segura mais os aromas do café”, afirma Gelma. A barista também explica que o pó deve ser colocado delicadamente, sem a necessidade de compactá-lo, para que a água, despejada em movimentos circulares, possa preencher todos os espaços entre os grãos.

5. Higienização do filtro de pano

Não há uma regra: o filtro de pano pode ser lavado com água quente ou fria. De acordo com a especialista, há quem guarde o item na geladeira para que eventuais bactérias não se proliferem. “Eu não vejo problema nisso.”

Capa Ed. 2302 - O Mapa do Verão - Canelle Gastrobar em Ubatuba
Café coado: o bom é aquele passado na hora (Foto: Leo Feltran)

6. Garrafa térmica: vale a pena ou não?

A barista não recomenda o uso de garrafas térmicas, já que bastam quinze minutos para a bebida oxidar. "Vai ficar com gosto de café requentado."

7. A melhor embalagem

Segundo Gelma, o café deve vir embalado em uma embalagem hermética com válvula, para que ele possa "respirar" e seu aroma seja preservado por mais tempo. Embalagens à vácuo também são boas, porque evitam a oxidação. "Mas só até o momento da abertura do pacote", pondera.

8. Como guardar o pó depois de aberto?

Quando se compra café em grãos, o melhor é deixá-lo na própria embalagem com válvula, fora da geladeira. Moído, ele deve ser colocado em um pote hermeticamente fechado e pode ser mantido na geladeira. 

9. Por quanto tempo depois de aberto o café ainda pode ser utilizado?

“Café bom é café fresco", reforça Gelma. "Não compre muito, compre o suficiente para uma semana, no máximo, como uma fruta”. O tempo passa e a qualidade decai. A barista ainda sugere que o grão seja moído em casa. “Hoje é possível encontrar bom moedores a partir de 80 reais”.

Fonte: VEJA SÃO PAULO