PATRIMÔNIO

Cine Belas Artes voltará a funcionar até junho

Cinema na esquina da Rua da Consolação com Avenida Paulista terá patrocínio da Caixa Econômica

Por: Carolina Giovanelli e Nataly Costa - Atualizado em

Cine Belas Artes passa por problemas financeiros  Foto 2
O Belas Artes encerrou suas atividades em 18 de março de 2011 (Foto: Divulgação)

O Cine Belas Artes, fechado há três anos na esquina da Rua da Consolação com Avenida Paulista, reabrirá até junho. A informação é do antigo dono do cinema e hoje diretor do Museu da Imagem e do Som (MIS), André Sturm, que teve de entregar o prédio em 2011 por não conseguir mais pagar o aluguel nem obter patrocínio para as salas. Desta vez, o dinheiro está garantido: virá da Caixa Econômica Federal, a nova mantenedora do espaço. 

+ Os filmes inesquecíveis do Belas Artes

As negociações para a retomada do Belas Artes estavam acontecendo ao longo de 2013 e, segundo Sturm, houve "gentileza e interesse" por parte do dono do imóvel, o empresário Flávio Maluf. Com diversos imbróglios patrimoniais - os órgãos de preservação não decidiam se tombavam ou não o cinema -, Maluf não conseguiu alugar o prédio durante todos esses anos e amargou o prejuízo. 

+ Tudo sobre cinema no blog de Miguel Barbieri Jr.

A Caixa e a prefeitura de São Paulo ainda não revelaram o valor do novo contrato e Sturm evitar falar em números porque, segundo ele, os papéis ainda não foram assinados. Mas a volta do cinema está "muito perto da realidade". "É um fato. Estamos trabalhando muito para que aconteça o mais rápido possível e, ainda este mês, possamos firmar contrato e divulgar tudo com detalhes. A ideia é que em cinco meses, no máximo, o Belas Artes esteja reaberto."

Acompanhe os principais destaques sobre cinema 

O prefeito Fernando Haddad (PT) e o secretário de Cultura, Juca Ferreira, lideraram as negociações e "se empenharam muito", nas palavras de André Sturm, para conseguir o apoio da Caixa. "A prefeitura foi nossa parceira", conta. Antes do patrocínio da Caixa, outras opções foram aventadas. Haddad chegou a cogitar a desapropriação do imóvel e transformar o cinema em um equipamento cultural do município.

O cinema voltará do jeito que era antes: seis salas e uma programação voltada para os filmes de arte. O prédio está em bom estado, mas precisa de algumas reformas, por isso o prazo de cinco meses.

São boas notícias aos fãs do local, que realizaram diversos protestos quando ele fechou. O burburinho fez com que sua fachada fosse tombada, o que dificultou o aluguel para outros interessados. Fundado em 1952 como Cine Trianon e batizado de Belas Artes em 1967, o espaço com seis salas hoje está se deteriorando a olhos vistos. Sua fachada, por exemplo, está toda pichada.

Fonte: VEJA SÃO PAULO