A OPINIÃO DO LEITOR

Cartas da edição 2393

Por: VEJA SÃO PAULO

Especial Eleições
Especial Eleições (Foto: VEJA São Paulo)

› Eleições

Achei extremamente oportuna a reportagem de capa “As questões da reta final” (1º de outubro). Vocês nos proporcionaram uma leitura esclarecedora, que, sem dúvida, é muito mais útil ao eleitor do que o patético horário eleitoral gratuito que nos é impingido no rádio e na TV. Maria de Carvalho Contrera

Li com atenção as declarações dos três candidatos ao governo de São Paulo sobre educação, segurança, meio ambiente, transporte e saúde. Resolvi: votarei nos três. Arnaldo Flaks

Trata-se de uma reportagem capaz de abrir os olhos de muita gente. A hora do voto é sagrada; é preciso que se pense sabiamente antes. Nada de escolher figurões marcados pela corrupção. Depois, não adianta chorar nem xingar. Asdrubal Gobenati

Os candidatos só falam em obras para solucionara crise hídrica. A superfície territorial do Sistema Cantareira se vê totalmente degradada. A cobertura vegetal é rala, não protege o solo, não possibilita a penetração da água das chuvas... É necessário que se promova uma vegetação eficiente em toda a superfície territorial atinente às barragens. Rodolfo Geiser

› Memória

É muito interessante saber das curiosidades que rondam os antigos hotéis da cidade (“As suítes das estrelas”, 1º de outubro). Antes espaços de luxo, hoje eles abrigam histórias e arquitetura que remetem a um tempo que não volta mais. Felipe Lucchesi

› Comportamento

Preocupa a atitude de alguns pais de recorrer à Justiça para resolver episódios de bullying (“Bullying é caso de Justiça?”, 1º de outubro). Porém, a partir do que observo na escola com a qual tenho contato, penso que, muitas vezes, eles não têm outra opção. Portanto, devemos tentar superar os casos primeiramente no colégio. Mas, se isso não for possível, recorrer à Justiça se mostra uma alternativa civilizada. Anna Teodoro

› Ivan Angelo

Como é bom ler as crônicas de Ivan Angelo (“Havia playboys”, 1º de outubro). Sinto como se o estivesse ouvindo. Angelo Martins Neto

Ivan lembrou algo para lá de saudoso. Essa época foi maravilhosa, com as calças saint-tropez, o salto carrapeta e a turma subindo a Rua Augusta a 120 por hora. Os ditos playboys eram uma brasa, mora! As calças tremendão faziam sucesso. Parabéns por tão bela lembrança. Dizem que recordar é viver, e, para mim, isso foi nota 10. Antonio Jose Marques

› Pedagogia

Ao contrário do publicado na reportagem “Em busca da escola ideal” (1º de outubro), o nome do meu filho é Fernando, e não Felipe. Quero esclarecer também que, da forma como foram colocadas na revista, as frases não condizem com meu pensamento. Escolhi o Colégio Bandeirantes justamente por ser uma escola com professores capacitados, que desenvolvem no aluno o senso de responsabilidade e espírito crítico. Acredito que o sucesso no vestibular é apenas uma consequência de todos esses fatores. Maria Cecília Martin Ferri

Além dos itens sugeridos, recomendo aos pais verificar se a escola está devidamente registrada nos órgãos competentes. Por desconhecimento, matriculamos nossos filhos em uma instituição particular que não estava cadastrada na Secretaria Municipal de Educação. João Paulo Menabó

› Política

O senador Eduardo Suplicy, em sua carta, esqueceu-se de acrescentar que, segundo a ONG Transparência Brasil, do total de144 propostas apresentadas por ele, 106 (73%) são totalmente irrelevantes (“Uma vaga, dois estilos”, 24 de setembro). Abel Pires Rodrigues

ESCREVA PARA NÓS

E-mail: vejasp@abril.com.br As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente. Envie para Diretor de Redação, VEJA SÃO PAULO. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente.

Redes sociais: facebook.com/vejaspe @vejasp (twitter)

Atendimento ao leitor: ☎ (11) 3037-2541

Sobre assinaturas: ☎ (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de VEJA SÃO PAULO.

Fonte: VEJA SÃO PAULO