Trânsito

Caminhões desrespeitam lei e circulam em horário e local proibidos

Em uma hora, flagramos 103 caminhões em período vetado na Marginal Pinheiros, altura da Ponte Cidade Jardim

Por: Daniel Salles

Caminhão Marginal Pinheiros 2214
Marginal Pinheiros, altura da Ponte Cidade Universitária: o retorno dos pesos-pesados (Foto: Fernando Moraes)

Acostumados a ser bombardeados com informações sobre lentidões infindáveis e acidentes no trânsito, os paulistanos receberam uma boa notícia em setembro passado, quando a prefeitura apertou o cerco à circulação de caminhões na cidade. As regras proibiram o tráfego de veículos de carga pesada na Marginal Pinheiros, entre as pontes do Jaguaré e do Morumbi, e em avenidas como a dos Bandeirantes, das 5h às 21h, de segunda a sexta, e entre as 10h e as 14h aos sábados. O objetivo da medida era obrigar parte dos 190.000 grandalhões que rodam diariamente pela capital (apesar de representarem só 3% da frota paulistana, eles contribuem para 35% dos congestionamentos) a utilizar o trecho sul do Rodoanel.

Antes desse pacote, a passagem deles já havia sido vetada em avenidas como Rebouças, Morumbi, Nove de Julho e 23 de Maio. Num primeiro momento, o impacto das restrições foi positivo. De um ano para cá, de acordo com as medições da CET, a fluidez do trânsito em toda a capital teria melhorado em 22% — número, diga-se, que não reflete nem de longe o que motoristas e passageiros enfrentam no dia a dia. Aos poucos, no entanto, a turma que anda devagar e solta fumaça preta pelo escapamento está voltando às ruas.

Para muitos caminhoneiros, o risco de burlar a proibição acaba compensando, pois a chance de escapar impune é bastante razoável. Desde setembro foram registradas mais de 100.000 infrações do tipo — 61.000 delas apenas na Marginal Pinheiros, o que dá uma média de 340 autuações por dia, ou 21 por hora. Parece muito, mas não é. Na última segunda (18), entre as 16h e as 17h, VEJA SÃO PAULO contou a quantidade de caminhões que circulavam irregularmente por lá. Na altura da Ponte Cidade Jardim, no sentido Interlagos, flagramos 103 pesos-pesados em horário proibido. Isso representa um indício de que, a cada motorista multado, outros quatro escapam da pena.

“A fiscalização atual é insuficiente para disciplinar o setor”, acredita o engenheiro Roberto Scaringella, ex-presidente da CET. Segundo ele, a maneira mais prática para coibir os infratores é aumentar o contingente de marronzinhos ao longo de vias estratégicas. “O ideal seria obrigar a instalação de chips em todos os veículos registrados no estado, de pequeno e grande porte”, diz ele, repetindo a receita que pregava desde sua última gestão, entre 2005 e 2008, a qual não conseguiu pôr em prática. “Só assim para ninguém ficar impune.”

Rodoanel - Caminhões 2214
Trecho sul do Rodoanel congestionado na segunda (18): 75 acidentes em pouco mais de um ano (Foto: Mateus Bruxel/Folhapress)

A volta dos veículos proibidos à Marginal Pinheiros está diretamente ligada a outra questão: a demora na conclusão do Rodoanel. Inicialmente, o conjunto de vias que deveriam aliviar a cidade de boa parte dos caminhões tinha o término de obras previsto para 2004. Dois dos quatro trechos já foram entregues — um avanço e tanto para a malha viária da região metropolitana, mas ainda insuficiente. “A frota de veículos não parou de crescer durante a construção e o anel viário já nasceu congestionado”, aponta Jaime Waisman, consultor na área de transportes.

Se não bastasse, as duas vias em operação colecionam problemas. Inaugurado em março do ano passado, o trecho sul, que custou 5 bilhões de reais, ainda não ganhou iluminação em toda a sua extensão. Ele foi palco de 75 acidentes, na maioria envolvendo caminhoneiros. No dia 14, por exemplo, pouco antes das 6 horas, duas carretas colidiram na região do Grande ABC, provocando 9 quilômetros de fila. Na última quarta (20), no trecho oeste, dois acidentes com dois caminhões e duas motos deixaram um saldo de três feridos e 10 quilômetros de congestionamento, nos dois sentidos.

Os caminhoneiros levantam outros motivos para evitar o Rodoanel. “Como em boa parte da estrada o sinal do celular não pega, diversos motoristas se sentem inseguros de usá-la durante a noite”, afirma Francisco Pelucio, presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região (Setcesp). Responsável pela administração do trecho sul, a concessionária SPMAR promete corrigir os problemas e instalar câmeras de monitoramento e cabines de comunicação a cada 1 quilômetro até setembro (no mesmo mês, está previsto também o início da cobrança de pedágio). Sem o bom funcionamento do Rodoanel e o aumento da fiscalização tanto lá como na cidade, para inibir e punir os infratores, a guerra contra os caminhões jamais será vencida.

Total de caminhões multados (desde setembro)

Marginal Pinheiros - 61.002

Avenida dos Bandeirantes - 30.515

Avenida Afonso D'Escragnolle Taunay (continuação da Avenida dos Bandeirantes) - 8.691

Avenida Jornalista Roberto Marinho - 699

Onde eles circulam

Em uma área de 100 quilômetros quadrados da cidade, os caminhões estão proibidos de trafegar das 5h às 21h, de segunda a sexta. Aos sábados, a proibição vale das 10h às 14h. Desde setembro, o limite foi ampliado para avenidas como a dos Bandeirantes e a Marginal Pinheiros, entre as pontes do Jaguaré e do Morumbi.

Caminhões - infográfico
(Foto: Veja São Paulo)

Os modelos liberados do rodízio

■ Período integral: Guinchos, prestadores de serviço e obras emergenciais, veículos da CET, correios e cobertura jornalística, além dos chamados Veículos Urbanos de Carga (VUCs), utilizados para pequenas entregas

■ Das 5h às 16h: Caminhões de feira livre, mudança, coleta de lixo, concretagem e remoção de terra em obras civis

■ Das 5h às 12h: Veículos que transportam alimentos perecíveis

■ Das 10h às 16h: Caminhões de obras e serviços de infraestrutura urbana e de transporte de caçambas

■ Das 10h às 20h: Caminhões de transporte de valores

Fonte: VEJA SÃO PAULO