COMPORTAMENTO

Calendário com modelos transexuais causa polêmica e agência se desculpa

Peça criada pela Leo Burnett Tailor Made alertava mecânicos sobre os perigos de comprar peças piratas 

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Leo Burnett - The Shemale Calendar
Trabalho da Leo Burnett para a Meritor: polêmica na internet (Foto: Reprodução)

A agência de publicidade Leo Burnett Tailor Made, uma das principais do segmento, pediu desculpas pela campanha criada para a empresa de autopeças americana Meritor. O The Shemale Calendar foi acusado de transfobia.

+ Incêndio atinge boteco Mercearia São Pedro

Em comunicado divulgado nesta quarta (21), o copresidente da agência, Marcelo Reis, lamentou o "constrangimento". "Somos uma empresa que sempre respeitou e apoiou a diversidade", diz o texto.

Lançado em 2013, o trabalho consiste em um calendário com fotos de modelos transsexuais. Ao final, revela-se os documentos de identidade das garotas, em que aparecem como homens. "Se não é original, mais cedo ou mais tarde você sente a diferença", diz a campanha. 

+ Bandidos explodem caixa eletrônico e pedestres pegam dinheiro

A polêmica se intensificou quando o Clube de Criação de São Paulo compartilhou imagens da campanha em sua página no Facebook. O post foi apagado em seguida. A peça elaborada pela Leo Burnett foi inscrita no 39º Anuário do Clube de Criação, na categoria Design & Marketing Direto, lançado em setembro.

Leo Burnett - The Shemale Calendar
O calendário: peça foi acusada de transfobia (Foto: Reprodução)

O CCSP alegou que "recebe, anualmente, inscrições de trabalhos criados por toda e qualquer agência do mercado publicitário brasileiro, reúne grupos soberanos de jurados e respeita as escolhas destes júris, sem fazer qualquer ponderação ou julgamento de valor".

A Meritor do Brasil publicou em sua página no Facebook uma nota de esclarecimento. "A empresa acredita que um colaborador pode ter aprovado inapropriadamente o uso de seu nome e logotipo", diz um trecho. "No momento, a companhia está se reunindo para levantamento de detalhes sobre o assunto."

Confira a íntegra do comunicado da Leo Burnett, assinado por Marcelo Reis:

Esse calendário foi criado há mais de 2 anos, de forma equivocada, mas sem o intuito de ofender ninguém. Já na primeira semana de distribuição solicitamos para as oficinas que não fosse fixado nas paredes. A peça foi inscrita no festival do Clube de Criação por uma falha nossa. Somos uma empresa que sempre respeitou e apoiou a diversidade. Eu, Marcelo Reis, peço desculpas. Lamentamos o constrangimento causado. Já solicitamos ao Clube de Criação que o trabalho seja retirado do Festival, por não estar alinhado com nosso modo de pensar e agir."Um trabalho desenvolvido pela agência de publicidade Leo Burnett Tailor Made e indicado ao prêmio do Anuário do Clube de Criação deste ano é alvo de uma enxurrada de críticas na internet, desde a manhã desta quarta-feira. O projeto chamado “The Shemale Calendar”, indicado na categoria “Design e Marketing Direto”, foi desenvolvido para a empresa de autopeças Meritor, segundo a própria agência, para alertar mecânicos e donos de oficina sobre a compra de peças piratas.

Leia a nota de esclarecimento completa da Meritor do Brasil:

Como a maior parte das empresas, a Meritor possui uma política clara para uso da sua marca bem como logotipo. Essa política não foi seguida nesta situação. A empresa acredita que um colaborador pode ter aprovado inapropriadamente o uso de seu nome e logotipo. No momento, a companhia está se reunindo para levantamento de detalhes sobre o assunto. A Meritor não apoia campanhas dessa natureza.

Fonte: VEJA SÃO PAULO