Cinema

"Bruna Surfistinha": saiba tudo sobre o doce veneno do escorpião

Entrevista com a ex-garota de programa Raquel Pacheco e mais informações sobre o filme inspirado em sua vida fazem parte da seleção

Por: Redação VEJA SÃO PAULO on-line - Atualizado em

Veja trailer de "Bruna Surfistinha"
"Bruna Surfistinha" estreia na próxima sexta (25) (Foto: Divulgação)

Em vídeo, a verdadeira Bruna Surfistinha fala sobre sua vida de garota de programa e sobre seus planos de vida e carreira depois da estreia do filme baseado em seu primeiro livro.

+ Você É o Repórter: Deborah Secco responde perguntas dos leitores

+ Confira galeria com fotos do filme

No longa que estreia na próxima sexta (25), a loira é interpretada por Deborah Secco.

  • Ex-garota de programa e blogueira conta tudo sobre família, assédio e preconceito e revela curiosidades do filme que estreia em 25 de fevereiro
    Saiba mais
  • Atriz engordou oito quilos para interpretar Bruna Surfistinha, personagem que considera o mais difícil de sua carreira
    Saiba mais
  • Vindo da publicidade e dos videoclipes, Baldini acerta a mão ao transpor para o cinema o livro "O Doce Veneno do Escorpião", de Bruna Surfistinha, codinome da garota de programa Raquel Pacheco. Em roteiro bem amarrado e apoiado em atuações vigorosas de todo o elenco, a fita redonda e tecnicamente impecável não se furta em mostrar cenas pesadas de sexo, nem de dar uma tonalidade moralista à polêmica história. Deborah Secco encontra o ponto certo e, entre a inocência e o poder de sedução, protagoniza o drama de Raquel. Filha adotiva de uma família de classe média paulistana, essa jovem é ridicularizada na escola. Decide, então, sair de casa e encontra abrigo num bordel tocado pela cafetina Larissa (Drica Moraes). Lá, passa a atender a clientela sob o apelido de Bruna e, por causa de sua boa aparência, provoca inveja nas outras prostitutas — entre elas as eficientes coadjuvantes Fabiula Nascimento ("Estômago") e Cristina Lago ("Olhos Azuis"). O sucesso como Bruna Surfistinha vem logo depois, quando ela aluga um apartamento por conta própria e passa a narrar suas aventuras sexuais num blog. Em embalagem de pegada pop, sobressai ainda a acertada trilha sonora, a cargo do coletivo Instituto e com inserções de Radiohead e The Zombies. Estreou em 25/02/2011.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO