Moda

Blogueira vai passar um ano sem fazer compras

Em "Um Ano Sem Zara", Joanna Moura relata a rotina de resistir às vitrines

Por: Catarina Cicarelli - Atualizado em

Joanna Moura
Joanna Moura cria looks com o que já tem no guarda-roupa: nada de cartão de crédito (Foto: Mario Rodrigues)

Cansada de passar o mês com a conta bancária no vermelho por causa da fatura do cartão de crédito, a publicitária Joanna Moura, de 27 anos, decidiu cortar o problema pela raiz. Assim, estabeleceu a missão de não comprar para si mesma nenhuma roupa, sapato ou acessório por 365 dias, contados a partir de 3 de março. Para compartilhar o sacrifício com mais gente, ela criou o blog “Um Ano sem Zara” (o nome faz referência à loja espanhola que é uma das suas preferidas). O endereço já teve mais de 350.000 páginas visitadas e o perfil homônimo criado no Twitter conta com 1.300 seguidores. “Escrever sobre isso foi ótimo, pois muitas pessoas passaram a me apoiar”, afirma. Antes de entrar nessa espécie de programa de recuperação, ela temia enfrentar crises de abstinência. “Mas está sendo mais tranquilo do que imaginava”, diz.

Joanna Moura Um Ano Sem Zara
Rotina do blog: publicitária diariamente as produções que monta (Foto: João Sime)

Baiana radicada em São Paulo há dois anos, Joanna publica diariamente na internet fotos de seu visual, composto apenas de peças do seu antigo guarda-roupa. Com isso, quer mostrar que é possível continuar elegante e na moda sem gastar de forma compulsiva. Para não cair na rotina, ela cria desafios, como usar o mesmo blazer por uma semana. “Tento fazer as peças renderem.” Seu primeiro teste de fogo ocorreu alguns dias depois do início do “rehab fashion”, quando teve de comprar um presente para uma amiga. “Resisti bravamente às tentações das vitrines”, vibra. Em seu aniversário, no último dia 2, ganhou dos colegas de trabalho um vestido de um modelo que já tinha no guarda-roupa, o que foi motivo de comemoração. “Agora posso ir à loja para trocar”, afirma. É inevitável comparar essa história com a da protagonista de "Os Delírios de Consumo de Becky Bloom", livro da escritora inglesa Sophie Kinsella que virou filme. “Não sou tão louca quanto essa personagem”, diz Joanna, confiando que chegará ao fim dos próximos nove meses sem sofrer uma recaída.

Fonte: VEJA SÃO PAULO