Shows

Black Eyed Peas encerra turnê brasileira no Estádio do Morumbi

Apresentação acontece na quinta (4) e tem abertura do DJ francês David Guetta, às 20 horas

Por: Pedro Ivo Dubra - Atualizado em

Black Eyed Peas - 2189
apl.de.ap, Taboo, Fergie e will.i.am: cantores estrelam superprodução (Foto: apl.de.ap, Taboo, Fergie e will.i.am: cantores estrelam superprodução)

Como gringos que se prezem, os quatro integrantes da estelar banda de hip-hop The Black Eyed Peas amam estar no Brasil. Seu líder, o californiano will.i.am (sim, sem maiúsculas), por exemplo, pediu “fejuada” pelo Twitter e disse mais de uma vez que este é o melhor lugar do planeta. Já seu conterrâneo de ascendência mexicana Taboo visitou uma churrascaria e uma academia de jiu-jítsu no Rio de Janeiro. Por lá, junto com o filipino apl.de.ap e a sensual Fergie, também da Califórnia, eles receberam no palco o ídolo Jorge Ben Jor, de quem gravaram ‘Mas que Nada’. Tudo muito bom, porém a ficha do grupo agora precisa cair: na quinta (4), a partir das 22 horas, ocorre o último show da excursão brasileira, no Estádio do Morumbi. Os próximos destinos são Argentina, Chile e Peru, onde, provavelmente, não haverá tanta diversão.

Uma turnê de tamanha extensão — nove capitais brasileiras — só confirma o gigantismo atual do Black Eyed Peas. Na ativa desde 1995, o conjunto surgido em Los Angeles soma 26 milhões de discos vendidos, tem a abertura da Copa do Mundo na África do Sul no currículo, lucra horrores participando de campanhas publicitárias e, o principal, emplaca um hit atrás do outro (‘I Gotta Feeling’, ‘My Humps’, ‘Boom Boom Pow’, ‘Where Is the Love?’...). Em cena, o grupo mostra um espetáculo superproduzido e rigorosamente ensaiado, com laser, telões, bailarinos e figurinos que misturam referências de várias épocas. Duzentas pessoas lidam com 50 toneladas de equipamentos para armar a festa de arromba, cuja abertura fica a cargo do top DJ francês David Guetta, às 20 horas. A julgar pela animação, não é adeus, apenas até breve.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO