Novos planos

Antonio Rocco deixa a direção do N.Ex.T para escrever ópera em português

Fundador e diretor do espaço há doze anos, o dramaturgo deve voltar a cuidar do teatro em 2013

Por: Bruna Gomes - Atualizado em

Antonio Rocco - N.Ex.t
Antonio Rocco: dramaturgo se prepara para expor seu trabalho na Filadélfia (Foto: Arquivo pessoal)

Depois de receber um convite para escrever um libreto (letra) para a Companhia de Ópera da Filadélfia, o dramaturgo Antonio Rocco decidiu se afastar da direção do teatro N.Ex.t (Núcleo Experimental de Teatro) até 2013. “Como terei que viajar muito, deixarei o teatro sob outros cuidados”, explica Rocco.

O centro de produção e difusão de novos talentos da dramaturgia foi inaugurado em junho de 1999 e, a partir de agosto deste ano, apresentará nova programação. A grade de atrações ainda não foi divulgada, mas o diretor fala um pouco mais sobre o assunto:

VEJA SÃO PAULO — A partir de que dia vai se desligar do N.Ex.t?

Antonio Rocco — Ainda esta semana. Embarco para Londres no próximo dia 09.

VEJA SÃO PAULO — Quem vai dirigir o N.Ex.t durante o período em que ficará afastado?

Antonio Rocco — É uma escola de teatro que já ocupava o espaço de vez em quando. Eles vão ficar dois anos aqui, a intenção é que eles cuidem do teatro.

VEJA SÃO PAULO — Vai funcionar como um aluguel? Qual é o valor estipulado?

Antonio Rocco — Sim, mas será um preço simbólico que prefiro não divulgar.

VEJA SÃO PAULO — As produções próprias vão continuar?

Antonio Rocco — Não. A programação do N.Ex.t. ficará suspensa. Durante esse período, tudo será determinado pela escola de teatro.

VEJA SÃO PAULO — E como será seu novo projeto?

Antonio Rocco — Eu vou escrever junto com o compositor Daniel Schnyder um libreto para a Companhia de Ópera da Filadélfia. Será algo feito especialmente para o tenor Lawrence Brownlee e o mais interessante é que será escrita em português.

VEJA SÃO PAULO — A estreia está prevista para quando? Haverá apresentação no Brasil?

Antonio Rocco — A estreia, na Filadélfia, está marcada para 17 de junho de 2015. A ópera deve ser apresentada aqui, mas ainda não há nada definido.

Fonte: VEJA SÃO PAULO