Esportes

Anderson Silva deve ficar suspenso por dezoito meses

O lutador confirmou a informação para interlocutores próximos, segundo jornalista

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Anderson Silva
O lutador foi flagrado em exame antidoping (Foto: Divulgação)

Anderson Silva deve ser suspenso por dezoito meses pela Comissão Atlética de Nevada por causa do uso de substâncias proibidas no combate contra o americano Nick Diaz, no dia 31 de janeiro, em Las Vegas. A decisão que só deve ser oficializada na próxima semana foi revelada pelo lutador para interlocutores próximos. A informação foi divulgada pelo jornalista Lauro Jardim na coluna Radar On-line, de VEJA.

Ainda de acordo com a coluna, Anderson Silva negocia disputar mais duas das três lutar que tem em contrato com a organização do UFC. Após esses combates, ele abandonaria os octógonos. Procurado, o evento não confirmou a informação.

Suspensão

No dia 17 de fevereiro, a Comissão Atlética de Nevada (Estados Unidos) suspendeu o lutador. A decisão da comissão impede que Anderson participe de lutas até a conclusão de seu julgamento, previsto para ocorrer entre março e abril deste ano. Seu adversário no combate de 31 de janeiro, o americano Nick Diaz, também foi suspenso pelo uso de maconha.

Exame antidoping realizado fora de competição, no dia 9 de janeiro, apontou que o brasileiro havia feito uso do esteroide anabolizante drostanolona e de androsterona. O resultado desse teste saiu algumas horas após a luta. Um segundo exame, realizado em 19 de janeiro, não apontou a utilização das substâncias. O resultado, porém, não serve de contraprova.

Já em testes realizados no dia da luta, além dos esteroides, também foram encontradas medicações para combater a ansiedade e a insônia. 

Na madrugada o dia 20 de fevereiro, o ex-campeão dos pesos médios do UFC escreveu em seu perfil no Instagram sempre ter “lutado limpo”.

Fonte: VEJA SÃO PAULO