Esporte

Academias declaram guerra às calorias

Espaços fazem alunos suar com circuitos de exercícios adaptados de técnicas de treinamento militar

Por: Meriane Morselli

Academia 2247
Valeria Giamellaro, na Companhia Athletica: escalada entre as atividades (Foto: Fernando Moraes)

Com o objetivo de exterminar 500 calorias em 45 minutos, quinze alunos suavam tops e camisetas no início da noite de uma quinta-feira na Companhia Athletica do Jardim Anália Franco, na Zona Leste. A supervisão da tropa estava aos cuidados da professora Eliane Dana Ramos, mais conhecida como Batata. Essa autêntica guerra para entrar em forma era travada num campo com pneus, cones e até uma corda dependurada do teto.

+ Conheça as academias vip de São Paulo

+ Cinquenta dicas para entrar em forma no verão

+ Academias dão cursos de pole dance para homens

Para ajudar os “soldados” a entrar no clima, a trilha sonora incluía uma versão eletrônica da marcha militar “Colonel Bogey March”, tema do filme “A Ponte do Rio Kwai” (1957), um dos maiores clássicos de guerra de Hollywood em todos os tempos. Sem ficar parada um minuto, a agente de viagens Lourdes Giamellaro, de 67 anos, chamava atenção pelo pique. “Desde que comecei a frequentar essa atividade, eu me sinto muito mais disposta, jogo futebol com os meus netos e eles se cansam primeiro”, disse. Sua nora, a dona de casa Valeria Giamellaro, de 37 anos, que nunca havia participado do treino, aprovou a novidade. “Eu me diverti bastante, mas sofri um bocado para superar alguns dos obstáculos”, afirmou.

Academia 2247 Runner
Na Runner: exercícios na água simulam um resgate (Foto: Fernando Moraes)

O treinamento em questão, conhecido como boot camp (recruta, em inglês), vem sendo adotado por várias academias da cidade. Na visão dos especialistas, é uma boa alternativa para quem deseja uma experiência diferente na hora de pegar pesado na malhação. Entre os benefícios, podem-se listar as melhoras de condicionamento físico, força, flexibilidade e equilíbrio. Os estabelecimentos oferecem hoje uma série de variações dessa aula.

As unidades da Bodytech do Shopping Eldorado, da Vila Olímpia e de Indianópolis, por exemplo, aumentam o grau de dificuldade de algumas séries com o uso de kettlebell, uma bola de ferro fundido com uma alça em cima. Os professores Uelinton da Conceição Silva e José Samora Júnior também põem o pessoal para correr, saltar barreiras e vencer desafios como virar um pneu de caminhão (antes de pensar que é uma moleza, saiba que a peça pesa 50 quilos). “A proposta é chegar acima do limite”, exagera Samora. Como recompensa ao desafio, pode-se dar adeus a até 1.000 calorias em uma hora. Nas filiais da Monday Academia da Mooca e do Shopping Plaza Sul, que oferecem a modalidade desde julho, sacos de pancada e bastões fazem parte da lista de equipamentos utilizados.

Academia 2247
Lourdes: circuito inclui pneus (Foto: Fernando Moraes)

O ambiente da prova também varia. Na Runner de Higienópolis, o esforço é dentro de uma piscina. “Isso facilita a vida de obesos e idosos, minimizando o risco de contusões”, afirma a coordenadora técnica Claudia Pelliccioli. Os alunos usam tubos, luvas e camas elásticas para simular resgates, saltos e corridas. A Bio Ritmo Academia disponibiliza o TRX, um sistema especial para treino suspenso, nos horários de boot camp disponíveis em seus endereços no centro e nos shoppings West Plaza e Higienópolis. O equipamento é composto de uma fita acrílica grossa presa no teto, tendo na base dois apoios para mãos ou pés. Os “recrutas” realizam ali séries de abdominais e de outros exercícios. Segundo o professor Vinicius Reis, o resultado surge rápido. “Dá para sentir diferença em trinta dias, frequentando a aula duas vezes por semana”, diz. Para isso, a turma se empenha também em flexão de braço, agachamento e polichinelo, entre outras coisas.

Academia Bodytech 2247
Aula na Bodytech do Eldorado: promessa de até 1.000 calorias queimadas por hora (Foto: Fernando Moraes)

TREINAMENTO INTENSIVO Os locais que oferecem aulas e as variações da modalidade

BIO RITMO

Nome da aula: Condicionamento Físico, programa que inclui boot camp em aulas mensais

Preço: 250 reais (por mês, em média, no plano anual)

Diferencial: exercícios de treinamento suspenso (TRX) incrementam a aula

BODYTECH

Nome da aula: Playground

Preço: 225 a 565 reais (por mês, no plano anual)

Diferencial: aposta no kettlebell, uma metodologia que usa uma bola de ferro fundido

COMPANHIA ATHLETICA

Nome da aula: Condicionamento Físico Total

Preço: 419 reais (por mês)

Diferencial: o circuito inclui cones, pneus e até uma corda pendurada no teto

MONDAY ACADEMIA

Nome da aula: Boot Camp

Preço: 188 a 198 reais (por mês, no plano semestral)

Diferencial: nos treinos intensos, são utilizados sacos de pancada e fitball

RUNNER

Nome da aula: Boot Camp Acqua

Preço: 341 reais (por mês, no plano anual)

Diferencial: as turmas malham dentro da piscina

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO