Cinema

35ª Mostra: os melhores filmes deste sábado (22)

Entre os destaques do dia está a exibição da versão restaurada do clássico "Laranja Mecânica"

Por: Bruno Machado - Atualizado em

Laranja Mecânica
"Laranja Mecânica", clássico de Stanley Kubrick, será exibido na Mostra (Foto: Reprodução)

No segundo dia da 35ª Mostra Internacional de Cinema, mais títulos bastante aguardados serão exibidos. Destaque para “Isto Não É um Filme”, cujo diretor, Jafar Panahi, foi proibido de filmar e cumpre prisão domiciliar no Irã. Há ainda o clássico “Laranja Mecânica”, em versão restaurada, e o documentário “Era Uma Vez... Laranja Mecânica” sobre seus bastidores e a polêmica que gerou quando lançado, no começo da década de 70.

+ Saiba tudo sobre a 35ª Mostra

+ Monte seu roteiro para a Mostra

+ 35ª Mostra de cinema: saiba como comprar seus ingressos

Ficção

Também são exibidos hoje o sensível “Hanezu”, muito bem recebido no Festival de Cannes deste ano. O filme é uma imersão no espírito e na cultura japoneses.

No drama “As Neves do Kilimanjaro”, o diretor Robert Guédiguian narra a história de um casal que leva uma vida tranquila e planeja uma viagem. No entanto, um grupo de homens mascarados vai lhe rouba o dinheiro e a paz. Já em “Uma Incrível Aventura”, um grupo de garotos de Ruanda faz uma divertida viagem até a África do Sul para ver a Copa do Mundo de 2010.

Outro filme que vale o ingresso é “Era Uma Vez Na Anatólia”, ganhador do Prêmio do Júri em Cannes neste ano, mais uma prova do talento de Nuri Bilge Ceylan, um dos principais cineastas turcos em atividade. Para quem gosta de animação, o francês “Os Contos da Noite” também é uma ótima opção.

Documentário

Entre os documentários, os destaques de hoje são nacionais. O primeiro, “Making of – Tropa de Elite 2”, apresenta os bastidores do blockbuster nacional e entrevistas com o elenco. “Fora do Figurino” tem uma proposta original: mostrar como a falta de padronização das medidas corporais do povo brasileiro cria problemas para as indústrias e os consumidores, obrigados a adotar padrões estrangeiros.

Clássicos

A retrospectiva do cineasta Elia Kazan continua com dois títulos imperdíveis: “Uma Rua Chamada Pecado” (1951), baseado na peça “Um Bonde Chamado Desejo”, do dramaturgo Tennessee Williams; e “Sindicato de Ladrões” (1954), também protagonizado por Marlon Brando.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO