Um dos criadores do vídeo Tapa na Pantera virou nome de peso no teatro

Rafael Gomes foi responsável por oito peças desde 2010 e ganhou projeção com 'Um Bonde Chamado Desejo'

Em 2006, o vídeo Tapa na Pantera, produzido por três estudantes de cinema, transformou-se em fenômeno do YouTube, com 5 milhões de acessos. Entre os idealizadores do filme sobre a senhora consumidora de maconha (interpretada por Maria Alice Vergueiro) estava o santista Rafael Gomes, na época com 23 anos. Hoje, aos 33, ele virou um dos principais diretores de teatro do momento. Responsável por oito peças desde 2010, Gomes ganhou projeção com o drama Um Bonde Chamado Desejo e consolida-se no comando do musical Gota d’Água [A Seco], em cartaz no Teatro Faap até o dia 30.

Um Bonde chamado desejo

Um Bonde chamado desejo

Sua versão cortou treze personagens do texto de Chico Buarque e Paulo Pontes, de forma a se concentrar na vingativa Joana (papel de Laila Garin) e no sambista Jasão (o ator Alejandro Claveaux). “Rafael me desafiou a criar a Joana de acordo com meu tamanho, eliminando as referências de Bibi Ferreira na montagem original, de 1975”, afirma Laila, arrebatadora em sua performance.

+ Teatro: confira as estreias da semana

A atriz Maria Luisa Mendonça, que faturou quatro troféus no último ano por Um Bonde Chamado Desejo, percebe no encenador uma rara visão de conjunto. “Ele vê os grandes filmes, é antenado em música, é fã de artes plásticas e não fica limitado ao universo do teatro.” A compulsão de espectador foi lapidada na adolescência, quando ele passava os fins de semana em São Paulo — onde já vivia seu pai — e voltava para Santos com três filmes e duas peças na bagagem. “Minha mãe me deixava matar a escola por causa da Mostra Internacional de Cinema”, conta.

Gota Dágua

Gota Dágua

O profissional também revela boa mão de roteirista nos seriados Louco por Elas, da TV Globo, e Três Teresas, exibido pelo GNT, e no longa De Onde Eu Te Vejo, lançado em abril. “Sou um operário da TV e do cinema, mas no teatro só me interesso se tiver autonomia”, diz. Enquanto ensaia a peça Jacqueline, com a atriz Natália Lage, Gomes se prepara para um imenso projeto: transformar os altos e baixos de Elza Soares num musical popular e inventivo que deve estrear em junho de 2017. “Gostaria de ter várias atrizes representando a cantora nas diferentes fases”, afirma.

Confira o vídeo de Tapa na Pantera:

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s