Conhecida pelos vinhos de má fama, São Roque ganha rótulo de prestígio

O Tempos Philosophia é produzido com uvas locais e figurou na lista de melhores tintos durante a  22ª edição da Avaliação Nacional de Vinhos

Pense em São Roque. Muito provavelmente, a primeira imagem que chega à cabeça é a do vinho vendido na cidade — antes mesmo da enxaqueca que o líquido pode causar. É, ele não tem boa fama. É doce demais, tem aroma artificial, mancha a língua e é servido em garrafão — esses são alguns atributos que os opositores associam à bebida-símbolo do município, a 65 quilômetros da capital.

+ 9 vinhos tintos italianos com preços a partir de 55 reais

+ Quem é quem no mundo do vinho

Mas eis que, desse rio roxo e açucarado, emergiu um cisne chamado Tempos Philosophia Cabernet Franc. Trata-se de um rótulo de qualidade inédita na região. Logo na primeira safra, em 2014, entrou para a lista dos melhores tintos daquele ano da 22ª edição da Avaliação Nacional de Vinhos. Depois do concurso, começou a ser preparado para chegar ao mercado, o que ocorreu em março deste ano. O lote tem 6 000 garrafas de 750 mililitros, ao preço unitário de 68 reais. “Falta ainda alguma coisa para aprimorá-lo, como a redução do tanino, um pouco acentuado, mas ele está em um bom caminho”, diz Ana de Andrade, sócia da Wine Soul, loja da Rua Oscar Freire, nos Jardins.

Por enquanto, o produto pode ser adquirido apenas na companhia responsável por ele, a Vinícola Góes, ou pelo site da empresa. Fundada em 1963, ela é uma das mais tradicionais do nosso pastiche de bordeaux de “r” puxado. Enquanto boa parte das garrafas são roquenses leva em seu conteúdo matéria-prima do Sul, o Tempos Philosophia é feito com 100% de uvas locais, vindas de uma fazenda de 90 hectares. Investiram-se 3 milhões de reais no desenvolvimento das frutas, iniciado em 2001. Parte desse dinheiro foi gasto em pesquisa.“Testamos mais de trinta tipos de videira até chegar ao ideal”, conta o diretor da companhia, Claudio Góes.

+ São Roque: para passar um dia ou o fim de semana inteiro

As próximas cepas que devem ir para os tanques de fermentação são a francesa malbec e a portuguesa alvarinho, ambas de produção local. A valorização da bebida ajuda a impulsionar o enoturismo, já forte nas redondezas. Na visita a Góes, por exemplo, os viajantes observam os tonéis, tiram uma selfie na lagoa artificial, fazem compras nas lojinhas e participam de degustações. O passeio de uma hora e meia custa 25 reais por pessoa e será retomado no dia 25.

Uma boa safra

Tempos Philosophia

Tempos Philosophia

Detalhes do tintoTempos Philosophia

  • › Vinícola: Góes (a produção começou informalmente no fim dos anos 30 e a empresa foi fundada em 1963)
  • › Uva: cabernet franc, produzida em São Roque, no interior paulista
  • › Degustação: frutas vermelhas no aroma e equilibrado no paladar
  • › Preço: 68 reais (750 mililitros)
  • › Onde comprar: apenas na própria companhia ou no site http://www.vinicolagoes.com.br
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s