“Valeu a pena lutar pela democracia”, diz Dilma sobre manifestações

Presidente falou pela primeira vez sobre os protestos de ontem

“Ontem, quando eu vi centenas e milhares de cidadãos se manifestando, não pude deixar de pensar que valeu a pena lutar pela liberdade, valeu a pena lutar pela democracia. Este país está mais forte que nunca”, afirmou a presidente Dilma Rousseff, um dia depois das manifestações nas ruas do país pedindo sua renúncia do cargo.

+ Protesto contra Dilma leva milhares à Paulista

O discurso foi feito nesta segunda (16) durante a cerimônia de sanção do novo texto do Código de Processo Civil, no Palácio do Planalto, em Brasília. De acordo com Dilma, esse fortalecimento das instituições democráticas faz com que o país seja “cada vez mais impermeável ao golpismo e ao retrocesso”.

Mesmo tendo como objetivo a divulgação de mudanças no Código de Processo Civil, que tem a função de regular a tramitação e prazos das ações judiciais e deve ser simplificado para acelerar decisões da Justiça, as manifestações nas ruas acabaram se tornando o tema principal do evento.

+ As notícias que mais repercutiram no ato contra Dilma

“Um país amparado na separação, independência e harmonia dos poderes, na democracia representativa, na livre manifestação popular nas ruas e nas unas se torna cada vez mais impermeável ao preconceito, à intolerância, à violência, ao golpismo e ao retrocesso”, afirmou Dilma, que pretende enviar em breve ao Congresso novas medidas de combate à corrupção.

Fez questão de reiterar que governo sempre irá “dialogar” com as manifestações das ruas: “Eu tenho certeza de que o que nós queremos é um lugar em que todos possam exercer os seus direitos pacificamente sem ameaça às liberdades civis e políticas.”

+ Vice-presidente apaga post polêmico

O evento teve a participação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, e do ex-presidente da República José Sarney. Horas antes, a presidente já havia se reunido com o seu conselho político, formado pelo vice-presidente da República. Michel Temer. e mais nove ministros. A reunião teve com um dos objetivos avaliar o impacto dos recentes protestos.

Oposição

Em uma entrevista concedida na manhã desta segunda (16) para a Rádio Gaúcha, de Porto Alegre, o senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, considerou “patético” o pronunciamento feito pelos ministros da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, e da Justiça, José Eduardo Cardozo, no domingo (15), após os atos.

“A presidente não se dignou a olhar nos olhos dos brasileiros para tentar entender minimamente o que estava acontecendo. Escalou dois ministros que parece que não estavam no Brasil ou não estavam sequer no planeta Terra neste último dia, que não entenderam absolutamente nada”, falou.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s