As principais aparições de óvnis em São Paulo

Caso em Embu das Artes, na semana passada, já recebeu explicação

No fim de semana passado, moradores de Embu das Artes, na Grande São Paulo, pararam para observar um objeto que pairou no céu por horas. Muitos julgaram ser um óvni (objeto voador não identificado), mas especialistas garantem que era uma pipa com luzes de LED. Para a comunidade de ufólogos, já ocorreram no estado avistamentos muito mais relevantes e jamais explicados.

+ Confira outros Mistérios da Cidade

+ Xaveco Virtual: nossa ferramenta para paquerar no Twitter

Segundo um estudo preparado por um dos nomes mais conhecidos da área, Claudeir Covo, presidente do Instituto Nacional de Investigação de Fenômenos Aeroespaciais, que analisa há 45 anos imagens de supostos discos voadores, o Brasil é o segundo país que mais registra essas aparições misteriosas, atrás apenas dos Estados Unidos.

Das centenas de fotos e vídeos que recebe todos os meses, Covo estima que 84% são fenômenos físicos ou químicos, naturais ou artificiais. Outros 15% não passam de fraudes deliberadas. Só o 1% restante intriga os pesquisadores. “Chega muito material porque hoje todo mundo tem uma filmadora, mas poucos casos ficam sem explicação”, comenta. A seguir, uma relação dos episódios mais intrigantes:

O caso do Forte Itaipu (1957)

Dois vigias em São Vicente, no litoral paulista, relataram que um disco voador veio do mar e os atingiu com um raio de luz; ambos tiveram queimaduras na pele.

A noite dos óvnis (1986)

Vinte e um objetos voadores foram avistados por pilotos de aviões em vários locais de São Paulo e outros estados por mais de três horas, em episódio confirmado até pelo então ministro da Aeronáutica, Octávio Moreira Lima.

O filme da Mikson (1986)

Poucos dias após a noite dos óvnis, uma equipe da empresa Mikson gravava um comercial no alto de um prédio no centro de São Paulo quando captou imagens de um objeto voador.

A nave da ilha (1995)

Dois pescadores de São Vicente afirmaram ter visto algo pousar em uma ilha próxima: as marcas encontradas não foram identificadas com as de nenhuma aeronave conhecida.

A sonda do Capão (1998)

Uma família do Capão Redondo, na Zona Sul, filmou uma espécie de sonda de 20 centímetros de diâmetro, brilhando e realizando manobras no céu.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s