Artista canadense faz registro de prédios de São Paulo

Ideia de Mark Lewis é compor uma videoinstalação que vai expor em setembro

Até outubro do ano passado, quando recebeu o convite para participar da 31ª Bienal de São Paulo, o artista canadense Mark Lewis nunca havia pisado no Brasil. Para cumprir a missão repassada pelos curadores de produzir uma obra relacionada à capital, ele esteve quatro vezes por aqui, a última em junho.

Visitou o centro, mercados, parques e fez uma seleção de projetos arquitetônicos para compor a videoinstalação que vai expor em setembro. “Fiquei impressionado com a quantidade de prédios modernistas, apesar da péssima conservação”. Entre as construções escolhidas estão o Copan, com sua vertiginosa escada de emergência (acima), a Galeria do Rock, com vista para o Largo do Paissandu (abaixo), pinturas do acervo do Masp, o topo do Edifício Martinelli e o Minhocão.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s