Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Economista que se opôs à quarentena morre aos 26 anos com coronavírus

Paquistanês Rehman Shukr atuava como especialista em sistemas financeiros no Fundo Monetário Internacional e chegou a questionar quarentena

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 27 mar 2020, 10h36 - Publicado em 27 mar 2020, 10h34

Morreu nesta terça-feira (24), aos 26 anos, o economista paquistanês Rehman Shukr por decorrência do novo coronavírus. Especialista em sistemas financeiros do Fundo Monetário Internacional (FMI), Shukr se opôs à quarentena e questionou sua utilidade na internet.

No sábado (20), em sua última postagem no Facebook, Shukr citou um artigo do jornal The New York Times, “Nossa luta contra o coronavírus é pior que a doença?”.

“Artigo muito importante. Difícil decidir se o aspecto humano da doença é mais importante do que as suas implicações na economia e noutras áreas importantes. Muito fácil deixar a emoção guiar a política e já vimos várias vezes por que isso é uma má ideia”, escreveu na postagem. Ele morreu três dias após compartilhar o texto.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade