Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Lardo — Bar e Sebo

(Desde 2021)

Tipos de Bares: Bares variados

VejaSP:

Endereço: Rua Guiará, 376 - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 978540719

Site: instagram.com/lardo.pompeia

Horário:

segunda-feira - Fechado

terça-feira - Fechado

quarta-feira - Fechado

quinta-feira 18:00 - 22:30

sexta-feira 18:00 - 22:30

sábado 12:30 - 15:30 - 18:30 - 22:30

domingo 18:00 - 22:30

Informações adicionais: Lugares/Capacidade total (20)

Resenha por Saulo Yassuda

Pôsteres de filmes nas paredes, prateleiras apinhadas de livros e uma freguesia a papear sobre as eleições de 2022 (às vezes, sobre o BBB 22 também). Esse cenário pode remeter à Mercearia São Pedro, um clássico da Vila Madalena. Mas estamos falando de outro lugar (de uma versão mais jovem e atualizada do boteco, quem sabe?). Trata-se do Lardo — Bar e Sebo, que passou a receber clientes em setembro, na Pompeia. Foi aberto pelo designer Ricardo Sukys, que se associou a dois amigos de infância, Diogo Bardal e João Próspero. O salão (uma garagem) é confortável, mas, pequeno, não acolhe todo mundo, o que faz boa parte do público se espalhar pela calçada, com canteiros de plantas para se sentar e banquetas de apoio — a desvantagem lá fora é que, às vezes, demora para você ser atendido. Para bebericar, há meia dúzia de vinhos, boas cervejas da Trilha e Heineken (R$ 11,00, 250 mililitros). Mas atrai mesmo a carta de drinques montada pelo consultor Rafael Pires Domingues (do extinto Frank), que reconstruiu drinques clássicos. Ficaram ótimos. O adonis vira umami adonis (R$ 36,00), com vinho manzanilla, vermute tinto, bitters e tintura de cogumelo para ganhar um sabor a mais. E o dry martini (gim e vermute branco seco) é transformado em lardo martini (R$ 30,00) após o destilado passar pelo processo de fat-washing (infusão) com lardo, a gordura curada do porco, e ficar mais untuoso. Esse ingrediente que dá nome à casa também aparece num petisco: a boa bruschetta de lula com tomate assado, manjericão-roxo e raspas de limão-siciliano (R$ 39,00). Outra receita do chef Fernando Pedote é a polenta frita (seria melhor se um tiquinho menos gordurosa) para comer com o saboroso frango desfiado, úmido e defumado, e vinagrete de tomate verde (R$ 38,00). O cafezinho expresso, nem sempre tratado bem em bares, aqui é dos bons (R$ 6,50). Em tempo: se você é fã de livros de gastronomia, fique atento à seleção exposta em um dos cantos do lugar. Mas não, ela não está à venda — é a coleção pessoal do sócio Ricardo Sukys.

Informações checadas em janeiro de 2022. 

    Pôsteres de filmes nas paredes, prateleiras apinhadas de livros e uma freguesia a papear sobre as eleições de 2022 (às vezes, sobre o BBB 22 também). Esse cenário pode remeter à Mercearia São Pedro, um clássico da Vila Madalena. Mas estamos falando de outro lugar (de uma versão mais jovem e atualizada do boteco, quem sabe?). Trata-se do Lardo — Bar e Sebo, que passou a receber clientes em setembro, na Pompeia. Foi aberto pelo designer Ricardo Sukys, que se associou a dois amigos de infância, Diogo Bardal e João Próspero. O salão (uma garagem) é confortável, mas, pequeno, não acolhe todo mundo, o que faz boa parte do público se espalhar pela calçada, com canteiros de plantas para se sentar e banquetas de apoio — a desvantagem lá fora é que, às vezes, demora para você ser atendido. Para bebericar, há meia dúzia de vinhos, boas cervejas da Trilha e Heineken (R$ 11,00, 250 mililitros). Mas atrai mesmo a carta de drinques montada pelo consultor Rafael Pires Domingues (do extinto Frank), que reconstruiu drinques clássicos. Ficaram ótimos. O adonis vira umami adonis (R$ 36,00), com vinho manzanilla, vermute tinto, bitters e tintura de cogumelo para ganhar um sabor a mais. E o dry martini (gim e vermute branco seco) é transformado em lardo martini (R$ 30,00) após o destilado passar pelo processo de fat-washing (infusão) com lardo, a gordura curada do porco, e ficar mais untuoso. Esse ingrediente que dá nome à casa também aparece num petisco: a boa bruschetta de lula com tomate assado, manjericão-roxo e raspas de limão-siciliano (R$ 39,00). Outra receita do chef Fernando Pedote é a polenta frita (seria melhor se um tiquinho menos gordurosa) para comer com o saboroso frango desfiado, úmido e defumado, e vinagrete de tomate verde (R$ 38,00). O cafezinho expresso, nem sempre tratado bem em bares, aqui é dos bons (R$ 6,50). Em tempo: se você é fã de livros de gastronomia, fique atento à seleção exposta em um dos cantos do lugar. Mas não, ela não está à venda — é a coleção pessoal do sócio Ricardo Sukys.

    Informações checadas em janeiro de 2022.