Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Bonner fala de Bolsonaro e internautas veem ironia em discurso

Na terça (5) presidente disse que o Brasil "estava quebrado" e ele "não poderia fazer nada"

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 6 jan 2021, 15h01 - Publicado em 6 jan 2021, 14h35

Willian Bonner comentou no Jornal Nacional, na noite de terça-feira (5), uma fala de Jair Bolsonaro. No mesmo dia o presidente disse que o Brasilestá quebrado“, em conversa com apoiadores, do lado de fora do Palácio da Alvorada, Brasília. Enquanto falava sobre o caso, o jornalista cometeu um deslize de português: alguns interpretaram o momento como uma crítica ao chefe do Executivo.

Na ocasião, Bolsonaro criticou a imprensa. Ele afirmou: “Chefe, o Brasil está quebrado, e eu não consigo fazer nada. Eu queria mexer na tabela do Imposto de Renda, teve esse vírus, potencializado por essa mídia que nós temos. Essa mídia sem caráter. É um trabalho incessante de tentar desgastar para tirar a gente daqui e atender interesses escusos da mídia”.

Depois de repetir a fala do presidente, Bonner comentou: “Os números oficiais das secretarias estaduais de Saúde mostram que o vírus a que se refere o presidente Jair Bolsonaro está se espalhando a taxas maiores desde dezembro. Esse vírus contaminou quase 8 milhões de pessoas no país todo e levou luto às famílias e aos amigos de mais de 197 mil ‘cidadões’… ou cidadãos… brasileiros”.

O ‘cidadões’ foi usado erroneamente pelo ex-diretor do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas), Marcus Vinícius Rodrigues, quanto assumia o posto em 2019 (sendo exonerado dois meses depois). Nas redes sociais, alguns usuários apontaram que o caso pode ter sido um simples erro de pronúncia do apresentador, outros, enxergaram uma alfinetada. Confira a repercussão:

Na manhã desta quarta (6), Bolsonaro voltou a falar sobre o assunto. “Confusão ontem, você viu? Que eu falei que o Brasil estava quebrado. Não, o Brasil está bem, uma maravilha. A imprensa sem vergonha, essa imprensa sem vergonha faz uma onda terrível aí”, disse para apoiadores.

 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade