Continua após publicidade

Mostra de fotografia na Estação Pinacoteca é cancelada no dia da abertura

Acesso à exposição <em>Olhares Cruzados</em> foi negado até aos próprios artistas

Por Gabriela Boccaccio
Atualizado em 1 jun 2017, 17h09 - Publicado em 6 dez 2014, 19h57

A exposição Olhares Cruzados, que seria inaugurada no sábado passado (6), reúne 36 imagens do fotógrafo brasileiro Renato Negrão e do canadense Luc Dubois. Renato passou alguns dias fazendo registros em Montréal, enquanto Luc fez o mesmo em São Paulo. O material seria exibido na Estação Pinacoteca, no espaço reservado à Fundação Nemirovsky, não fosse o cancelamento por parte da direção da Pinacoteca.

 

Segundo Rodrigo Silva, convidado pela Câmara de Comércio Brasil-Canadá para coordernar o projeto, o que motivou a decisão por parte da direção do museu foi que “eles não haviam sido avisados sobre o evento”. 

+ Confira o que fazer de graça na cidade

Continua após a publicidade

Na sexta (5), Luc Dubois, que veio ao Brasil justamente para o coquetel de abertura, foi barrado quando tentou ter acesso ao local. “Fiquei desamparado e surpreso”, conta. O artista, que adorou a capital paulista, volta ao Canadá na segunda (8) sem ter visto a exposição montada.

Olhares Cruzados
Olhares Cruzados ()

A Pinacoteca cede o segundo andar do prédio para a Fundação Nemirovsky, que mantém uma biblioteca no local, além de possuir um vasto acervo de arte moderna. Na quarta (3), a direção da Pinacoteca convocou uma reunião com a fundação para cancelar a exposição. Rodrigo Silva ficou surpreso com a decisão: “Seria essa a melhor maneira de resolver a situação?”, questiona.

Continua após a publicidade
Olhares Cruzados
Olhares Cruzados ()

O produtor ainda afirma que “a situação causou problemas diplomáticos”, já que a exposição será levada ao Canadá em novembro de 2015. Entre os apoiadores e patrocinadores do evento estão o Consulado Geral do Canadá, o Escritório de Quebec e a Câmara de Comércio Brasil-Canadá. 

+ Não perca as últimas notícias sobre São Paulo

Continua após a publicidade

Os artistas não receberam informações sobre o acontecimento e foram pegos de surpresa. Para  Renato Negrão, a situação causa estranhamento. “Menos de 24 horas antes do cancelamento, as pessoas passavam pelo local para fazer a montagem e ninguém falou nada”, afirma. A exposição está inteiramente montada, mas o acesso ao local é proibido. “Imagine o tamanho da nossa frustração”, explica o artista. A Secretaria de Cultura do Estado, responsável pelo museu, disse que a Pinacoteca não foi consultada previamente sobre a exposição, sabendo do evento apenas na entrega dos convites. O espaço da biblioteca seria pequeno e não comportaria o fluxo de visitantes, por isso a decisão de suspender a mostra.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.