Clique e assine com até 89% de desconto

4 ótimas mostras em museus para visitar neste final de semana

O melhor de tudo: em três delas, o ingresso é grátis

Por Julia Flamingo 12 Maio 2017, 17h13
Excelente série de fotografias no MIS registra saga de refugiados Photo by Mauricio Lima for The New York Times/Veja SP

A leva de exposições inauguradas no Instituto Tomie Ohtake, Mube, MIS e CCBB é tão boa, que torna difícil escolher por onde começar. Aproveite o final de semana para fazer um tour pelas instituições: vale levar a mãe para celebrar o seu dia no próximo domingo (14), a paquera para impressionar ou um grupo de amigos para curtir um programa diferente. Confira abaixo a seleção e monte sua combinação preferida:

Série sobre refugiados premiou Mauricio Lima com Prêmio Pulitzer: em cartaz no MIS Mauricio Lima for The New York Times/Veja SP

Farida, um Conto Sírio, no MIS

O fotojornalista paulistano Mauricio Lima mostra a saga de refugiados sírios a caminho de países da Europa em 2015. Durante seis meses, ele acompanhou a família Majid, que conheceu quando chegou a Belgrado, na Sérvia, e registrou cliques dramáticos e assustadoramente reais.  O ensaio, publicado pelo The New York Times, rendeu-lhe um Prêmio Pulitzer inédito para brasileiros. O ingresso de 6 reais dá direito a outras seis mostras de fotografia em cartaz no museu.

Mostra de fotografia no Tomie Ohtake traz nomes desconhecidos ao público brasileiro como o alemão Andreas Gursky Andreas Gursky/Veja SP

Conversas – Coleção Merrill Lynch, no Instituto Tomie Ohtake

Entre as várias mostras de fotografia em cartaz na cidade, está é, sem dúvida, a mais novidadeira. Ali está reunida mais de uma centena de imagens feitas desde 1860 e assinadas por nomes desconhecidos pelo grande público brasileiro. Não deixe de prestar atenção nas obras contemporâneas dos alemães Thomas Struth e Thomas Ruff.

125 obras de Cícero Dias constroem a trajetória do artista no CCBB Divulgação/Veja SP

Cícero Dias, no CCBB

A trajetória de Cícero Dias (1907-2003) é contada por meio de 125 telas de diversos períodos acompanhadas por textos explicativos e fotografias — traço típico da curadoria didática de Denise Mattar.

Trabalho de Lydia Okumura é comparado com o projeto do Mube, de Paulo Mendes da Rocha Denise Andrade/Veja SP

Pedra do Céu, no Mube

Projetado pelo premiado Paulo Mendes da Rocha, o MuBE foi inaugurado em 1995 e segue até hoje como uma de suas principais criações. A exposição Pedra no Céu compara os desenhos e maquetes do arquiteto com elementos característicos presentes nas obras de arte em exibição. Para isso, os curadores Cauê Alves e Guilherme Wisnik escolheram trabalhos de 26 artistas.

Continua após a publicidade
Publicidade