Continua após publicidade

Agronegócio responsável cresce e vira um dos grandes focos do Santander

Série de iniciativas do Santander apoia a cadeia relacionada ao setor – de fornecedores e produtores rurais a estabelecimentos como bares e restaurantes

Por Abril Branded Content
Atualizado em 29 Maio 2024, 15h51 - Publicado em 25 out 2022, 11h30

A relação do Santander com o agronegócio começou em 2000. Recentemente, a área consolidou sua estrutura de atendimento e aumentou sua equipe especializada em produtos e serviços financeiros para o segmento. O banco passou de 150 para cerca de 250 profissionais desde o início de 2021. O reforço da equipe contribuiu para que o agronegócio alcançasse resultado recorde no segundo semestre em empréstimos no varejo.

“O agronegócio tem sido o propulsor da economia, mesmo em tempos difíceis de pandemia. Temos 25% do PIB ligado ao agro. Temos crescido de 30% a 35% ao ano. São 30 000 parceiros”, revela Carlos Aguiar, diretor de agronegócios do Santander.

Desde 2010, o Santander oferece crédito acompanhado de orientação técnica aos produtores rurais que desejam investir em inovação e sustentabilidade no campo. O programa Agronegócio Responsável atua em duas frentes: o incentivo à agricultura de baixo carbono, com a adoção de sistemas de plantio e pecuária que aliem produtividade, conservação de recursos naturais e menores impactos ambientais, e o estímulo ao uso da energia solar.

Para 2022, as perspectivas de crescimento continuam muito positivas para o Santander, e os resultados dos dois primeiros meses do ano já projetam mais um ano de recorde para a área de agronegócios.

Continua após a publicidade

O Santander é carbono neutro desde 2010 e tem como meta zerar sua emissão líquida de CO2 até 2050, incentivando seus clientes a fazerem o mesmo. O banco disponibiliza linhas de crédito para financiamento sustentável desde o início de 2017, tendo acelerado essa produção a partir de 2018, crescendo de forma recorrente em mais de dois dígitos desde então. Em 2020, viabilizou 27 bilhões de reais em negócios sustentáveis e, até setembro de 2021, já viabilizou mais de 46 bilhões de reais. Em dezembro de 2021, foi lançado o CDB Baixo Carbono, um produto único no mercado nacional, voltado a empresas que buscam investimentos com a segurança e a liquidez das aplicações em renda fixa e também interessadas em apoiar o financiamento de iniciativas com viés sustentável.

“O CDB Baixo Carbono mostra que é possível fazer uma boa gestão financeira e, simultaneamente, apoiar a agenda ESG. Mostramos na prática o quanto grandes empresas estão realmente dedicadas à construção de um futuro sustentável”, avalia Aguiar.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.