Imagem Blog

Tudo de Som

Novidades da música, clipes, entrevistas, artistas, listas e shows, por Tomás Novaes.
Continua após publicidade

Jonathan Ferr extrapola fronteiras do jazz com novo disco

Inspirado em vivência em São Paulo, 'Liberdade' carrega influência do hip-hop; confira a entrevista do pianista carioca

Por Tomás Novaes
27 jan 2023, 06h00

“Depois da cura, você se liberta”, “Quem não se movimenta não percebe as correntes que o aprisionam”, “Liberdade não é para fora, liberdade é para dentro”: conversar com o músico carioca Jonathan Ferr, ou assistir ao seu show, é um convite à reflexão.

+ Lianne La Havas fará show no Cine Joia em fevereiro

Pianista de jazz com forte influência do hip-hop, o compositor de 35 anos hoje diz “viver sem CEP”, mas foi uma temporada de três meses em terras paulistanas que inspirou seu novo disco, Liberdade, disponibilizado nas plataformas digitais nesta sexta-feira (27) e com show de lançamento em 4 de fevereiro no Sesc Pompeia.

Imagem mostra maos de homem no ar, fazendo formato de acordes no piano
As mãos do pianista: novo disco extrapola fronteiras do jazz e do hip-hop. (João Medeiros/Divulgação)

“Para fazer uma investigação pessoal, fui para São Paulo, em 2021. Não poderia falar sobre liberdade de dentro da minha casa, no centro do Rio. Aluguei um apartamento no Alto da Lapa onde passei três meses e foi onde tudo aconteceu”, conta o artista, que chamou diversos músicos que moram na capital paulista para participar do álbum, como Luedji Luna, Tássia Reis, Zudizilla e Rashid.

Continua após a publicidade

As dez faixas com vocais predominantemente femininos acompanham ainda um curta-metragem homônimo, protagonizado por Aílton Graça e pela jornalista Cris Guterres. “É um curta meio clipe — que nem o álbum, que é meio jazz, meio hip-hop, meio eletrônico. A ideia desse disco foi romper as fronteiras de tudo.”

A mescla de influências de Jonathan é tão interessante quanto seu objetivo maior de popularizar o jazz: vai desde o afrofuturismo do compositor americano Sun Ra (1914- 1993) até o fascínio por astrologia, Nietzsche, J Dilla, John Coltrane e a banda paulista Charlie Brown Jr. — “o nosso Nirvana”, nas suas palavras —, que ganhará dois covers do pianista ainda este ano, das faixas Céu Azul e Lugar ao Sol. “As coisas que o Chorão escrevia me tocam muito, e em 2023 faz dez anos que ele morreu.”

Sesc Pompeia. Rua Clélia, 93, Pompeia, ☎ 3871-7700. Sáb. (4), 21h30. R$ 40,00. sescsp.org.br. ■

Publicado em VEJA São Paulo de 1 de fevereiro de 2023, edição nº 2826

Continua após a publicidade

+Assine a Vejinha a partir de 9,90. 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.