Imagem Blog

Terraço Paulistano

Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade. Por Humberto Abdo.
Continua após publicidade

Empresária acusa novo sócio da Daslu de dar calote

Criada em 1958 como um símbolo de luxo e sofisticação, a butique Daslu teve 52% de suas ações vendidas por 11 milhões de reais há duas semanas. Pois pouco depois de assumir suas funções à frente da empresa, um dos novos compradores teve o nome revelado por razão menos lisonjeira que o feito nos negócios. O empresário e DJ baiano Crezo Suerdieck Dourado é acusado […]

Por Carolina Giovanelli
Atualizado em 26 fev 2017, 13h07 - Publicado em 19 fev 2016, 23h55
Marina: acusação de calote de carros (Foto: João Bertholini)

Marina: acusação de calote de carros (Foto: João Bertholini)

Criada em 1958 como um símbolo de luxo e sofisticação, a butique Daslu teve 52% de suas ações vendidas por 11 milhões de reais há duas semanas. Pois pouco depois de assumir suas funções à frente da empresa, um dos novos compradores teve o nome revelado por razão menos lisonjeira que o feito nos negócios. O empresário e DJ baiano Crezo Suerdieck Dourado é acusado de dar o calote na compra de dois esportivos Porsche, modelos Panamera e Cayenne. “Vendi meus carros a ele por 400 000 reais”, diz Marina de Castro Prado, dona de uma loja de móveis na Zona Norte. “Ele me passou seis cheques, mas todos voltaram por falta de fundos.” Após reclamar, ela afirma ter recebido apenas 60 000 reais em sua conta bancária. O episódio torna-se mais complicado porque o contrato de compra dos veículos está em nome da agência Rinaltur — o novo sócio da Daslu teria assinado o documento na condição de testemunha. “Na verdade, Dourado é o real proprietário, tudo foi acertado no escritório dele”, diz ela. O empresário confirma ter se encontrado com Marina, mas para tratar de outros assuntos. “Assino 100 coisas por dia, não me lembrava desse documento.” O caso chegou ao Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), e a ex-proprietária pede os automóveis de volta. “Minha conta ficou negativa, e estou dirigindo um Audi antigo”, lamenta. A Rinaltur, do empresário Jean Alcântara, entrou com uma ação para reaver os tais cheques, dar prosseguimento aos pagamentos em juízo e obter a transferência da documentação dos veículos. Dourado entrou com uma ação contra Marina por danos morais.

+ O futuro do prédio da Daslu

Dourado, novo sócio da Daslu: ação contra Marina (Foto: Valtério Pacheco)

Dourado, novo sócio da Daslu: ação contra Marina (Foto: Valtério Pacheco)

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.