Imagem Blog

Pop! Pop! Pop! Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais
Continua após publicidade

Jovem anoréxica chegou a pesar o mesmo que criança de 9 anos

Hoje saudável, a ex-bailarina também teve dias como fisiculturista: "Acredito que isso foi apenas um desdobramento do meu distúrbio alimentar"

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 28 jul 2017, 18h35 - Publicado em 28 jul 2017, 17h49

A rotina de bailarinas e dançarinos profissionais não é nada fácil. Victoria Spence, uma jovem de 22 anos, perdeu mais de 38 quilos para ficar “em forma” para as audições de um espetáculo.

A jovem corria 10 quilômetros todos os dias, dançava profissionalmente e tinha hábitos alimentares saudáveis — mas, mesmo assim, foi suspensa do conservatório onde estudava ao enfrentar dificuldades para decorar as coreografias e dormir durante os ensaios.

Em 2014, a jovem fez um cruzeiro com amigos. Foi então que um fotógrafo do navio, que a clicou usando um biquíni, a ajudou a perceber que ela tinha um distúrbio alimentar. Nas fotos, os ossos de Victoria aparecem muito proeminentes.

Ela começou a fazer terapia. Registrava a rotina com a doença em um blog e, aos poucos, conseguiu retornar ao dia a dia. Isso é: até decidir se dedicar ao fisiculturismo. Hoje, percebe que, ao entrar em uma competição com roupa de banho, ela estava apenas prolongando a enfermidade.

A mulher, então, conheceu o namorado. Michael Robinson, de 29 anos, ajudou a jovem a encontrar o equilíbrio na alimentação. Hoje com 57 quilos, ela acredita que o relacionamento a ajudou a perder a obsessão por comida.

Continua após a publicidade

No cruzeiro, quando eu estava usando um biquíni, as pessoas apontavam para mim e notavam minha magreza. Após as ferias, decidi cooperar com o meu terapeuta. Foi difícil começar a comer mais comida e aceitar que eu estava engordando, mas valeu a pena“, revelou a jovem ao The Daily Mirror.

Depois disso, comecei a entrar em competições de fisiculturismo. Ganhei um novo senso de controle. Eu acredito que isso foi apenas um desdobramento do meu distúrbio alimentar“, desabafou a mulher, que hoje trabalha como personal trainer.

Eu parei de competir quando conheci a minha cara metade. Eu percebi que eu não podia estar com alguém enquanto estava obcecada com o meu peso, pesando as minhas refeições. Eu mal podia esperar para começar a viver uma vida normal normalmente, saindo à noite e encontrando amigos para alguns drinques“.

A mulher diz que se sente livre atualmente, muito menos estressada e feliz: “No meu pior momento eu pesei o mesmo que uma criança de nove anos de idade. Agora eu pareço muito mais saudável. Eu tenho um corpo mais feminino. Eu tenho muitos músculos, mas também tenho curvas“.

Continua após a publicidade

A mulher garante, no entanto, que a maior mudança ocorreu na cabeça: “Eu tenho trabalho com que eu tenho dentro, então eu sou mais que um tanquinho“.

Quando você está batalhando um distúrbio alimentar, você está obcecado. Você esquece de viver e de aproveitar a vida. Assim que você consegue desapegar dessas obsessões, sente-se dez vezes melhor. Agora, eu malho e como o que eu quero. Ao fazer isso, eu sinto que estou na melhor forma da minha vida e feliz como eu nunca fui“, finalizou a jovem ao The Daily Mirror.

Dê sua opinião: E você, o que achou do desabafo da jovem? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.