Imagem Blog

Pop! Pop! Pop!

Por Blog
Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais
Continua após publicidade

Adolescente desenvolve doença rara e perigosa após malhar

Jared Shamburger revelou que se sentiu muito dolorido após uma sessão de 90 minutos de levantamento de pesos

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 5 fev 2020, 14h04 - Publicado em 6 jun 2018, 19h31

Um adolescente de 17 anos de idade passou cinco dias no hospital por causa de uma doença rara e perigosa após pegar muito pesado na academia. Jared Shamburger revelou que se sentiu muito dolorido após uma sessão de 90 minutos de levantamento de pesos. O jovem não estava apenas com dores, mas seu corpo também estava inchando — e os sintomas não davam sinais de melhora.

Após pesquisar os sintomas no Google, a mãe de Jared resolveu levá-lo ao hospital, onde o adolescente foi diagnosticado com rabdomiólise, uma doença rara causada pela danificação dos músculos. “Rabdomiólise é uma condição que acontece quando você tem a ruptura dos músculos e as proteínas relacionadas a essa quebra que chegam ao seu sangue podem causar um severo dano aos rins“, explicou a médica Martha Pyron ao BuzzFeed. A doença pode levar à falha dos rins e até à morte. Jared, no entanto, se recuperou após passar cinco dias no hospital.

A rabdomiólise pode acontecer com pessoas que passaram um longo período em repouso, como pacientes de mais idade que estão se recuperando de uma fratura no quadril. A doença também pode aparecer por causo do uso de drogas, trauma físico ou até choque elétrico. Há também a possibilidade extremamente rara de que a rabdomiólise ocorra em pacientes que usam remédios para reduzir níveis de colesterol — ou os saudáveis que fizeram muitos exercícios na acadêmia. A condição é comumente associada a atletas que rotinas intensas, mas casos de pessoas que faziam exercícios com pesos leves também foram registrados.

Se você malha demais e malha além da dor, que é um sinal da doença, pode causar rabdomiólise“, explicou a médica Pyron. A condição, no entanto, é bastante rara: um estudo encontrou apenas 25 casos em 2,5 milhões de pessoas. Os sintomas? Dores musculares que podem dificultar a locomoção, inchaço que não diminui ou começa a pioras e urina escura, às vezes na tonalidades de chá ou avermelhada. Desidratação e superaquecimento também podem aumentar as chances de desenvolver a condição.

Dê sua opinião: E você, o que achou da história do adolescente? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.