Imagem Blog

A Tal Felicidade

Saúde, bem estar e alegria para os paulistanos
Continua após publicidade

Especialista em dança fala sobre os benefícios de movimentar o corpo

Segundo ele, a prática ajuda a aliviar episódios de nervosismo, ansiedade e estresse

Por Roberto Honório, em depoimento a Helena Galante
Atualizado em 8 set 2023, 11h39 - Publicado em 8 set 2023, 06h00

Existe uma tecnologia natural dentro de cada um de nós. Ao longo da vida, ela pode ficar escondida entre os muros altos da vergonha, da falta de tempo e de outros fatores que depositamos em nossas rotinas. Fato é que, mesmo em silêncio, podemos ativá- la de maneira simples e sem custos.

+ SP receberá exoesqueletos de locomoção para criar modelo barato para o SUS

Assim é o movimento. Apesar de inerente ao ser humano, o movimento por vezes encontra-se adormecido. Pensemos no passado longínquo no qual os rituais de caça, colheita, casamento, nascimento e morte eram todos celebrados com música e dança. É claro que até hoje, a depender da cultura, preservamos algumas dessas heranças. Mas na vida moderna, quando a correria ganha destaque, perdemos a conexão a partir do movimento.

Como resgatá-la? Depois de um intenso percurso de volta para dentro dos meus próprios sentimentos e estudando todas as variáveis do comportamento humano, passei a unir a dança ao autoconhecimento a partir de uma série de temas, como a psicologia positiva (ou ciência da felicidade) e a inteligência emocional. Tudo amparado na experiência de dar aulas de dança há mais de trinta anos, o maior impulso criativo que tenho registrado em meu corpo.

Foi através dessa experiência que consegui identificar dois recursos para que as pessoas voltem a dançar: ressignificar o passado e valorizar o presente. O que acontece, e que tanto percebi durante as minhas aulas de dança, é que as pessoas (todas elas) guardam marcas profundas do passado. Esses traumas, que podem estar ligados ao abandono, traição, humilhação e rejeição, por exemplo, também permanecem presos no corpo, limitando nossa liberdade e felicidade.

Continua após a publicidade

Eis aí a importância de procurar ajuda (como o acompanhamento psicológico e as terapias integrativas) e praticar atividades benéficas para o seu bem-estar emocional (o que Fred B. Bryant e Joseph Veroff chamam de savoring, ou a apreciação de desfrutar o momento).

De nada adianta, contudo, apreciar uma bela flor sem, antes, observá-la atentamente. Como é o seu perfume? Como suas pétalas se comportam na luz? E na sombra? Se projetarmos essa mesma ideia no movimento, teremos a clara definição do dançar, que nada mais é do que envolver-se e apenas sentir (sem racionalizar).

Dançar ajuda a aliviar episódios de nervosismo, ansiedade e estresse. Em virtude da liberação de endorfina, também auxilia no tratamento da depressão, na melhora do humor, no aumento da autoestima, no relaxamento e na compreensão das emoções. Por sinal, segundo Daniel Goleman, referência em inteligência emocional, “finalmente a psicologia leva a sério a alegria, o prazer e a felicidade”. Finalmente!

Sabendo de seus inúmeros benefícios para a qualidade de vida, alegro-me em destacar a dança como meio para valorizarmos os lampejos de felicidades cotidianas (no plural mesmo).

Continua após a publicidade

A felicidade que nasce na dança informal com os amigos, no abraço apertado em quem sentimos saudades, nas risadas que fazem a barriga doer, no autocuidado diário e na ideia de que, como bem disse Martin Seligman, idealizador da psicologia positiva, “a felicidade autêntica não é encontrada em ter mais, mas em ser mais”. Registre essa transformação em seu corpo. Seja mais você. Dance na pista da vida vestido de si!

Roberto Honorio
Roberto Honório (@robertohonoriooficial) é especialista em dança e psicologia positiva. Em 2020, uniu sua experiência no universo da dança ao conhecimento adquirido no estudo da ciência da felicidade para criar o @back2danceoficial, método que transforma vidas e conecta pessoas a partir de cursos, palestras e dinâmicas com expressividade corporal (Arquivo pessoal/Divulgação)

Publicado em VEJA São Paulo de 8 de setembro de 2023, edição nº 2858

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.