Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Tom Zé, Wisnik e Grupo Corpo se revoltam com Carla Zambelli por música

Deputada utilizou a canção 'Xiquexique' para ilustrar suposto apoio do Nordeste a Bolsonaro; 'Presidente tem seu próprio sanfoneiro", disse artista

Por Redação VEJA São Paulo 26 jul 2020, 16h52

Carla Zambelli (PSL-SP) publicou um vídeo nas redes sociais que exalta supostas ações de apoio a Jair Bolsonaro (sem partido) no Nordeste. As imagens são embaladas pela canção “Xiquexique”, de autoria de Tom Zé e José Miguel Wisnik para um espetáculo do Grupo Corpo, e os artistas dizem que ela não tinha autorização para isso. 

O vídeo, que foi retirado do ar, continha mais de 300 000 visualizações na manhã de sábado (25). Em um minuto, mostrava imagens de outdoors com mensagens de apoio ao presidente, o que sugeria força nos estados.

Wisnik disparou nas redes sociais em nome dele, de Tom Zé e da companhia de dança um outro vídeo em que repudia o uso indevido da obra. O artista classifica a utilização da música como “espúria e revoltante que vai contra tudo aquilo que acreditamos”.

Ao jornal O Globo, a assessoria da deputada Carla Zambelli disse que entende que “a reprodução parcial da música” não desrespeita a Lei de Direitos Autorais. E citou o artigo 7º da legislação, que autoriza “a reprodução, em quaisquer obras, de pequenos trechos de obras preexistentes (…), sempre que a reprodução não seja o objetivo principal da obra nova (…) nem causa um prejuízo injustificado aos legítimos interesses dos autores”.

“Da próxima vez não uso mais a música deles. Há diversos artistas que dariam tudo para serem lembrados e curtidos, em qualquer perspectiva. O que não faltará (pra gente) é conteúdo, uma pena a pequenez de pensamento”, disse a deputada. 

Também ao jornal, Paulo Pederneiras, coreógrafo do Grupo Corpo, disse que vai tomar medidas legais. “Não me surpreendo (com o uso indevido da música), pois eles nunca tiveram o menor respeito pela área. Para eles, cultura e lixo são a mesma coisa. É um horror tudo isso”, reagiu.

Continua após a publicidade

Leia o comunicado proferido por José Miguel Wisnik. 

“Eu sou José Miguel Wisniki, estou falando em meu nome, do meu parceiro Tom Zé e em nome do Grupo Corpo para denunciar e repudiar o vídeo postado pela deputada Carla Zambelli em que utiliza a nossa composição ‘Xiquexique’, feita para o espetáculo do Grupo Corpo, ‘Parabelo’. O vídeo procura construir a imagem de suposta ampla aceitação de Jair Bolsonaro no Nordeste, região onde, como sabemos, ele foi derrotado em todos os estados nas últimas eleições presidenciais. Trata-se de uma operação de construção de alavancagem da imagem de Jair no Nordeste que quer tomar carona na nossa composição. Queremos declarar aqui que ‘Parabelo’ não está à disposição dessa apropriação, dessa utilização espúria e revoltante que vai contra tudo aquilo que acreditamos e tudo aquilo que essa música representa, como alegria de viver, como força da cultura popular nordestina e como força da arte. Estamos tomando todas as providências jurídicas cabíveis para cercear essa apropriação repulsiva. Lembrado que o presidente tem o seu próprio sanfoneiro.”

Continua após a publicidade
Publicidade